Relatores pedem solidariedade para migrantes

Ouvir /

Encontro preparatório sobre um Pacto Global para Migração Segura, Ordenada e Regular começa nesta segunda-feira em Puerto Vallarta, no México; especialistas querem medidas urgentes e de longo prazo para promover ambientes econômicos e sociais que integrem migrantes com população local.

Migrantes em Mogadíscio, Somália. Foto: Ocha/Giles Clarke

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

Um grupo de relatores independentes de direitos humanos afirmou que os países devem tomar uma posição firme contra discriminação, racismo e xenofobia.

Em uma declaração conjunta, divulgada às vésperas de um encontro preparatório sobre um pacto global para migração, realizado no México, os especialistas disseram que os Estados devem demonstrar que discursos de ódio, violência e estigmas não podem ser tolerados.

Economias

O comunicado foi firmado pelo relator sobre os direitos dos migrantes, Felipe González Morales, e mais outros seis especialistas em direitos humanos.

Para o grupo, é preciso mostrar que os migrantes e refugiados levam diversidade e enriquecem sociedades, economias e culturas ao redor do mundo.

Os relatores defenderam reformas políticas, legais e sociais para promover mais integração e solidariedade.

A declaração também citou condições negativas e desumanas enfrentadas por migrantes além de políticas migratórias rígidas, que segundo eles não conseguirão parar a migração, mas apenas aumentar o sofrimento dos migrantes.

Crianças

Uma outra preocupação são os riscos de tráfico de pessoas em movimentos de migrantes e a necessidade de assistência e proteção às vítimas.

Os especialistas disseram também que centros de detenção de migrantes devem ser apenas utilizados como último recurso pelos países. E que crianças desacompanhadas jamais deveriam ser detidas.

O encontro ocorre de segunda à quarta-feiras no México.

O grupo encerrou o comunicado afirmando que os países precisam ajudar de forma solidária para a criação de um pacto global com significado. E que os migrantes têm de ser o ponto central do processo.

Assinaram o comunicado além do relator González Morales, Tendayi Achiume, da relatoria especial sobre formas contemporâneas de racism, discriminação racial, xenophobia e intolerância relacioanda; Maria Grazia Giammarinaro; Obiora C. Okafor; Nils Melzer; Urmila Bhoola e Bernard Duhaime.

Leia mais:

Unicef quer mais proteção a menores em novas políticas de migração

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031