“Pior ataque da história recente” mata 14 soldados da ONU na RD Congo

Ouvir /

Secretário-geral disse que reforços militares já chegaram ao local onde outras dezenas de boinas-azuis da Tanzânia ficaram feridos; comandante das forças de paz na RD Congo coordena resposta no terreno; incidente ocorreu no Kivu do Norte, no leste.

Foto: Monusco/Sylvain Liechti

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

Pelo menos 14 soldados de paz tanzanianos foram mortos e outros 40 ficaram feridos num ataque de rebeldes ocorrido na noite de quinta-feira na província do Kivu do Norte, no leste da República Democrática do Congo, RD Congo.

Esta sexta-feira, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, reagiu ao incidente ao abrir a conferência de doadores do Fundo Central de Resposta de Emergência em Nova Iorque.

"Dia trágico"

O chefe da ONU considerou o dia trágico para as Nações Unidas e, após confirmar as baixas, expressou “indignação e grande tristeza” pela ação. Guterres declarou que, de acordo com as primeiras indicações do local do ataque, pelo menos cinco membros do Exército congolês perderam a vida no incidente.

O secretário-geral disse que reforços militares chegaram ao local, onde o comandante das forças de paz já coordena a resposta e conta com ajuda médica a caminho.

O chefe da ONU declarou que o ataque é o pior contra boinas-azuis na história recente da organização. Ele acrescentou que esta  é outra indicação do sacrifício enorme de países que contribuem com tropas para a busca da paz.

Choque

A ONU News ouviu o ministro tanzaniano das Relações Exteriores, Patrick Mahiga, que declarou que o seu governo está muito chocado por ser a primeira vez em que perde tantas tropas de paz numa só ocasião.

Ministro das Relações Exteriores da Tanzânia, Patrick Mahiga revelou que o país ainda aguarda mais informação. Foto: ONU/Rick Bajornas.

O chefe da diplomacia tanzaniana disse que há dois meses, dois soldados foram mortos e que desta vez com a perda dos 14, com os 38 feridos e quatro desaparecidos em ação é provadamente de uma das maiores baixas sofridas pelas Nações Unidas e que ainda se aguardava por mais informação.

Impunidade

O secretário-geral expressou condolências às famílias das vítimas e ao governo e desejou rápidas melhoras aos feridos. Guterres condenou “de forma inequívoca” o ato e sublinhou que ataques contra soldados de paz são crimes de guerra e os autores devem ser levados à justiça.

Para o secretário-geral da organização, não pode haver impunidade para este tipo de atos tanto naquele país como em outras partes do mundo.

Ele declarou ainda que esses homens e mulheres corajosos põem a sua vida em risco para servir a paz e proteger civis.

A situação na RD Congo é uma das que são cobertas pelo Fundo Central de Resposta de Emergência das Nações Unidas. Para Guterres o ataque realça a emergência de ajudar pessoas necessitadas a abordar situações frágeis.

Notícias relacionadas:

ONU quer ampliar participação feminina em missões de paz já em 2018

Nova onda de violência desloca milhares de centro-africanos

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 19 DE JANEIRO DE 2018
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 19 DE JANEIRO DE 2018
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

janeiro 2018
S T Q Q S S D
« dez    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031