Em Dia Internacional do Migrante, ONU pede cooperação e solidariedade

Ouvir /

Em mensagem para marcar a data, secretário-geral, António Guterres, disse que mundo deve reconhecer as contribuições e celebrar a vitalidade de 258 milhões de migrantes; representante da União Europeia junto à ONU diz que é preciso encontrar soluções.

António Guterres. Foto: ONU/Rick Bajornas

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

As Nações Unidas marcam neste 18 de dezembro o Dia Internacional do Migrante.  O secretário-geral da organização, António Guterres, afirmou que a data é uma oportunidade para celebrar a vitalidade de 258 milhões de migrantes, atualmente no mundo.

Em mensagem, Guterres disse que é preciso reconhecer as contribuições e os benefícios econômicos, sociais e culturais gerados pelos migrantes.

Realidade

Mas segundo ele, o sentimento de hostilidade tem crescido, infelizmente, ao redor do mundo. E por isso mesmo, a solidariedade nunca foi tão urgente como agora.

A ONU News conversou sobre o tema da migração com o representante da União Europeia junto à ONU, o embaixador João Manuel Vale de Almeida. Para ele, a migração é uma realidade, que deve ser compreendida por todos.

"Há mais gente, hoje, em mobilidade do que em qualquer outro momento da história da humanidade. Por razões diversas: pessoas que fogem em conflitos, pessoas que têm o estatuto de refugiados porque são perseguidos em seus países de origem, mas pessoas que também migram por razões econômicas, para terem uma melhor vida para os seus filhos e para as suas famílias."

Ainda em sua mensagem, o secretário-geral da ONU afirmou que a migração é um tema que sempre esteve presente.

Desigualdades

Guterres lembrou que as pessoas sempre se movimentaram à procura de novas oportunidades.  E que eventos como as mudanças climáticas, instabilidade, demografia além de um aumento de desigualdades e demandas não respondidas no mercado de trabalho, apontam que a migração veio para ficar.

O secretário-geral disse que o mundo precisa de uma cooperação internacional efetiva no gerenciamento da migração.

Ao ser perguntado sobre o tema, antes da mensagem do Guterres, o embaixador da União Europeia, João Vale de Almeida, afirmou que a questão da migração tem de ser discutida num fórum global.

Remessas

"Os fenômenos globais exigem soluções globais. Não são compatíveis com soluções nacionais nem sequer com soluções regionais. Portanto, nós o que procuramos, o conjunto da comunidade internacional, com o conjunto das instituições internacionais, com as Nações Unidas, antes de mais, como seu secretário-geral, é encontrar soluções globais para o fenômeno da migração, da mobilidade das pessoas."

Segundo o Banco Mundial, os migrantes enviaram a casa em 2017 remessas no valor de US$ 596 bilhões. Deste total, US$ 450 bilhões foram destinados a países em desenvolvimento.

Pacto Global

Para António Guterres, o gerenciamento da migração deve garantir que os benefícios dela serão distribuídos amplamente, e que os direitos humanos de todos os envolvidos serão protegidos de maneira apropriada, como é previsto pela Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável.

No ano passado, líderes mundiais se comprometeram em adotar o Pacto Global para Migração Segura, Ordenada e Regular em 2018. Para o chefe da ONU, é preciso fazer com que a migração funcione para todos.

Notícias relacionadas:

Relatores pedem solidariedade para migrantes

Unicef quer mais proteção a menores em novas políticas de migração

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 16 DE JANEIRO DE 2018
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 16 DE JANEIRO DE 2018
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

janeiro 2018
S T Q Q S S D
« dez    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031