Guterres: "vamos fazer do Caribe a 1ª região do mundo resiliente ao clima"

Ouvir /

Secretário-geral da ONU discursou em conferência de alto-nível organizada em parceria com a Comunidade Caribenha, Caricom; objetivo do encontro é mobilizar apoio para reconstrução e resiliência de países e territórios afetados pelos furacões Irma e Maria.

Danos causados a Antígua e Barbuda pelo Furacão Irma em 8 de setembro. Foto: Undac/ Silva Lauffer

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, participou nesta terça-feira de uma conferência de alto-nível organizada em parceria com a Comunidade Caribenha, Caricom.

O objetivo do encontro é mobilizar apoio para a reconstrução e resiliência de países e territórios afetados pelos furacões Irma e Maria.

Devastação

Guterres declarou que durante sua visita a Dominica e a Antígua e Barbuda, viu um nível de devastação que nunca tinha testemunhado antes em sua vida.

Ele afirmou que em Dominica, conferiu uma "geração de ganhos em desenvolvimento perdida em uma questão de horas". O chefe da ONU lembrou ainda que Barbuda tornou-se inabitável.

Perdas trágicas

O secretário-geral contou que houve uma "trágica perda de vidas e devastação generalizada" em toda a região.

Segundo Guterres, apenas em Antígua e Barbuda e em Dominica, os danos estão calculados em US$ 1,1 bilhão e as perdas econômicas em US$ 400 milhões.

Ele pediu ainda que não se esqueça que estes Estados-ilha não estão apenas ligados pela geografia, mas também pela economia. Por isso, quando um país sofre, todos sofrem.

Temporada de furacões

Guterres afirmou que, este ano, esta temporada de furacões foi mais ativa com tempestades mais frequentes e fortes. Das 13 tormentas, oito foram furacões e metade deste número considerados de grande porte.

Ele afirmou que antes, era raro ver tantas tempestades com essa força. Mas segundo especialistas em mudança climática, infelizmente o quadro está se tornando normal e mais frequente.

Nos últimos 30 anos, o número de desastres anuais relacionados ao clima quase triplicou e as perdas econômicas foram cinco vezes maior.

O secretário-geral afirmou que, como reiterou na COP 23, em Bonn, a ação climática global não é um luxo; é uma necessidade urgente que exige mais ambição.

Futuro melhor

Por fim, Guterres defendeu que a conferência desta terça-feira deve ser mais do que discursos e promessas.

Para o chefe da ONU, esta é uma "oportunidade de moldar uma parceria para um futuro melhor e aprimorar uma visão para recuperação que reúna todos os atores e coloque as pessoas em seu centro, como agentes ativos de desenvolvimento".

Ele terminou chamando os participantes a fazerem do Caribe a "primeira região resiliente ao clima do mundo" e declarou que as Nações Unidas estão plenamente comprometidas com esse objetivo.

O chefe do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, Achim Steiner, também participou do encontro.

Steiner ressaltou que o número de desastres naturais nesta geração parece superar o das anteriores e que é possível senti-los mais do que nunca.

O chefe da agência destacou que nesta terça-feira, na sede da ONU, em Nova Iorque, os participantes do encontro estão explorando juntos como construir uma comunidade mais resiliente ao clima.

Notícias Relacionadas:

No Caribe, Guterres afirma que auxílio é de responsabilidade internacional

Unicef amplia ações na América Latina e Caribe devido a desastres naturais

Reduzir risco de desastres vital para desenvolvimento sustentável 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031