ONU continuará apoiando o Haiti e o processo democrático do país

Ouvir /

Representante do secretário-geral no país, Sandra Honoré, falou ao Conselho de Segurança sobre o encerramento da Missão de Estabilização, Minustah, marcado para domingo; Brasil comandou tropas de paz desde o início em 2014.

Dados mais recentes mostram uma "diminuição significativa" de casos suspeitos de cólera. Foto: ONU/Logan Abassi

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

As Nações Unidas encerram neste domingo, 13 anos de mandato da Missão de Estabilização da ONU no Haiti, Minustah. A representante especial do secretário-geral, Sandra Honoré, fez sua última apresentação ao Conselho de Segurança sobre a Missão, que começou em 2014.

Em entrevista à ONU News, antes do discurso ao Conselho, Honoré classificou de positivas as relações entre a organização e o povo haitiano, tendo prometido a continuação das Nações Unidas no apoio à democracia no país caribenho.

Resposta

A chefe da Missão disse que o mandato de estabilização confiado à operação de paz pelo Conselho de Segurança foi cumprido e que "o Haiti está em altura de avançar para consolidar a estabilidade já obtida para o seu avanço socioeconómico."

Em dezembro passado, as Nações Unidas pediram desculpas pela resposta ao surto de cólera que desde 2011 matou mais de 9 mil pessoas no Haiti.

Segundo a organização, os dados mensais mais recentes mostram uma "diminuição significativa" de casos suspeitos de cólera, que voltaram aos níveis de 2014.

Mandato

As Nações Unidas deverão continuar a apoiar o Haiti nas ações de combate à doença, mesmo com o início da Missão da ONU para o Apoio à Justiça, Minujusth, na próxima semana. 

Sandra Honoré disse que o país tinha agora uma perspetiva muito diferente apesar dos vários desafios ainda enfrentados.

A representante disse que o o povo haitiano desfruta agora de um grau considerável de segurança e de maior estabilidade. A violência política diminuiu de forma considerável; e as gangues armadas não fazem reféns também graças ao trabalho da polícia nacional de 14 mil agentes formados pela ONU.

Etapa inicial 

A chefe da Minustah destacou que a série de conquistas, apesar de significativas é apenas parte da etapa inicial sendo urgente "garantir as condições de estabilidade contínua, permitindo o desenvolvimento socioeconómico de longo prazo."

Para Honoré, a Minusjusth está pronta para desempenhar um papel eficaz ao lado da Equipa da ONU no país.

Honoré destacou a honra se servir sob a bandeira das Nações Unidas no apoio ao Haiti e ao seu povo na criação de condições que permitiram ao Conselho decidir o encerramento da Minustah.

Notícias relacionadas:

Agências da ONU alertam para aumento da fome na América Latina e Caribe

Unicef: um ano após Matthew, crianças no Haiti ainda vulneráveis a desastres

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031