Operações de emergência em Serra Leoa: agências da ONU respondem a cheias

Ouvir /

Mais de 300 pessoas morreram e centenas continuam desaparecidas; estimativas são de que mais de 3 mil tenham perdido suas casas; dados são do governo.

Centenas de pessoas morreram e muitas outras estão desaparecidas após enchentes e deslizamentos de terra atingirem diversas comunidades em Freetown, capital de Serra Leoa. Foto: Unicef.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

Diferentes agências da ONU falaram a jornalistas nesta sexta-feira, em Genebra, sobre a situação em Serra Leoa, após cheias e deslizamentos de terra que atingiram áreas da capital Freetown, em 14 de agosto.

Mais de 300 pessoas morreram e centenas continuam desaparecidas, de acordo com dados do governo. O Escritório de Segurança Nacional de Serra Leoa também calcula que mais de 3 mil pessoas tenham perdido suas casas.

Doenças

A Organização Mundial da Saúde, OMS, alertou que para o risco de cólera e outras doenças propagadas pela água em áreas afetadas pelas enchentes e os deslizamentos de terra.

No caso do cólera, a agência afirmou que esta é sempre uma preocupação durante a temporada de chuvas em Serra Leoa e o país teve surtos graves no passado.

As cheias podem causar danos ou alagamentos em instalações sanitárias, aumentos o risco de doenças transmitidas pela água. As inundações também formam focos de mosquitos e podem causar um aumento da malária e outras doenças transmitidas por vetores.

A OMS está fornecendo apoio técnico ao Ministério da Saúde e Saneamento e está liderando a resposta de parceiros da área de saúde apoiando as autoridades do país.

Crianças

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, afirmou que a prioridade para crianças também é evitar a propagação de doenças como cólera, que é endêmica no país, e diarreia.

A agência está fornecendo água potável, saneamento e construindo latrinas e está distribuindo medicamentos e tendas. Atendendo ao pedido do governo, o Unicef também está entregando material para controle de infecções como luvas, máscaras e sacos para corpos.

A agência da ONU também chamou a atenção para o risco causado pela malária, que é uma das maiores causas de morte de crianças com menos de cinco anos. Este é o auge da estação chuvosa, época do ano com maior número de mortes pela doença.

O Unicef também está oferecendo apoio psicossocial para crianças traumatizadas pelo que ocorreu. O governo anunciou que a reabertura das escolas será adiada para 11 de setembro.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, outra agência da ONU, também está participando da resposta humanitária ao desastre.

Notícias Relacionadas:

Mais de 100 crianças mortas em deslizamentos de terra em Serra Leoa

Serra Leoa: PMA distribui comida para milhares atingidos por deslizamentos

Agência da ONU ajuda população após cheias arrasadoras na Serra Leoa

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 20 DE NOVEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 20 DE NOVEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

novembro 2017
S T Q Q S S D
« out    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930