ONU quer medidas extraordinárias para conter insegurança alimentar na Etiópia

Ouvir /

Organização promete angariar mais fundos após nova contribuição de US$ 10 milhões para emergência; maior preocupação é com área etíope de Somália onde chuvas falharam.

Seca na Somália. Foto: OIM/Muse Mohammed

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

As Nações Unidas alertaram que a crise de segurança alimentar "continua preocupante" na Etiópia, especialmente com as sucessivas falhas de chuvas que agravaram a já crítica situação da região da Somália.

O Fundo Central de Resposta a Emergências, Cerf, colocou  US$ 10 milhões ao dispor das autoridades para apoiar os esforços de combate à insegurança alimentar na região etíope.

Programa

A entidade prometeu angariar os restantes US$ 6 milhões necessários para  financiar um programa emergencial que decorre na área. A situação da Etiópia "requer medidas extraordinárias" para enfrentar a crise, sublinha a ONU.

Pelo menos 8,5 milhões de pessoas devem precisar de auxílio alimentar no segundo semestre de 2017. O número corresponde a mais três milhões em relação aos que foram registados em janeiro.

Até meados de setembro, decorre a quinta ronda de distribuição alimentar que já beneficiou 10% das 3,3 milhões de pessoas na região da Somália.

As ações de resposta alimentar e não alimentar até o fim deste ano vão precisar de US$ 487,6 milhões em toda a Etiópia.

*Apresentação: Denise Costa.

Notícias relacionadas:

Vítimas de insegurança alimentar aumentam para 16 milhões na África Oriental

Compartilhe