Comité da ONU quer que governo dos EUA condene discursos racistas

Ouvir /

Violência recente na cidade universitária de Charlottesville levou especialistas a pronunciar-se sob mecanismo de "alerta precoce e ação urgente"; grupo monitora Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial.

Foto: ONU/John Isaac

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

O Comité da ONU sobre a Eliminação da Discriminação Racial pediu aos Estados Unidos, seus políticos de alto nível e funcionários públicos que rejeitem e condenem os discursos racistas de ódio e crimes ocorridos em Charlottesville.

Os especialistas que verificam a implementação da Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial defendem que "não deveria haver lugar para racistas no mundo ” em nota emitida esta quarta-feira, em Genebra.

Alerta Precoce

O pronunciamento foi emitido ao abrigo do procedimento de "alerta precoce e ação urgente" do Comité. O grupo sublinha que ideias da supremacia branca ou ideologias semelhantes rejeitam os princípios essenciais de direitos humanos, da dignidade humana e da igualdade.

A presidente do Comité,  Anastasia Crickley, expressou alarme "com manifestações racistas, slogans, cantos e saudações abertamente racistas por nacionalistas brancos, neonazistas e Ku Klux Klan, promovendo a supremacia branca e incitando a discriminação racial e o ódio".

O Comité pede uma investigação criminal ao condutor do veículo que atropelou uma multidão de manifestantes pacíficos provocando a morte da jovem manifestante Heather Heyer.

Causas Profunda

O outro apelo é que as autoridades "tomem medidas concretas para abordar as causas profundas da proliferação de tais manifestações racistas. ”

Crickley sublinha que o governo dos Estados Unidas deve investigar  "minuciosamente o fenómeno da discriminação racial visando, em particular, pessoas de descendência africana, minorias étnicas, etnoreligiosas e migrantes".

Na decisão feita ao abrigo do seu mecanismo de alerta precoce, o Comité pede ao governo norte-americano que garanta "que os direitos à liberdade de expressão, associação e reunião pacífica não sejam exercidos para destruir ou negar os direitos e liberdades de outros".

Outro apelo é que sejam oferecidas garantias necessárias de que "tais direitos não sejam usados de forma indevida para promover discursos de ódio e crimes racistas".

Notícias relacionadas:

“Precisamos acatar as lições da História” diz Guterres sobre Península Coreana

Relatores alertam para racismo nos EUA após violência em Charlottesville

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 17 DE NOVEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 17 DE NOVEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

novembro 2017
S T Q Q S S D
« out    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930