Unicef pede ação para evitar mais mortes de crianças no Mediterrâneo

Ouvir /

Agência calcula que mais de 150 morreram desde janeiro; quase 37 mil refugiados e migrantes chegaram à Itália pelo Mediterrâneo Central desde o início do ano; número é 42% maior que mesmo período do ano passado.

Pessoas arriscando suas vidas para chegar à Europa, a partir do Norte da África, são resgatadas no Mar Mediterrâneo pela Marinha italiana. Foto: Acnur/A. D'Amato

Laura Gelbert Delgado, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, calcula que pelo menos 849 pessoas, incluindo mais de 150 crianças, morreram no Mediterrâneo desde janeiro enquanto tentavam fazer a perigosa travessia no mar.

No entanto, segundo a agência, este número é provavelmente maior já que muitos menores se deslocando estão desacompanhados, então, frequentemente suas mortes não são registradas.

"Aumento dramático"

O Unicef pediu meios seguros e legais de migração para as pessoas que estão fugindo de conflito e pobreza

Desde o início do ano, quase 37 mil refugiados e migrantes, 13% crianças, chegaram à Itália pelo mar pela rota do Mediterrâneo Central. O número representa um aumento de 42% em comparação ao mesmo período do ano passado.

A agência ressalta que especialmente crianças desacompanhadas e separadas de suas famílias estão em risco maior e estes números aumentaram de forma dramática.

Em janeiro e fevereiro deste ano, cerca de 1.865 menores nestas situações chegaram na Itália, um aumento de 40% em comparação ao mesmo período do ano passado.

Águas calmas

O Unicef também mencionou que temperaturas mais quentes e águas mais calmas no Mediterrâneo foram acompanhadas por um aumento no número de refugiados e migrantes tentando fazer a travessia.

Apenas durante o fim de semana de Páscoa, mais de 8,3 mil pessoas foram resgatadas no mar entre a Líbia e a Itália.

Como parte de sua política global para crianças em movimento, a agência da ONU tem pedido mais medidas para proteger menores refugiados e migrantes, especialmente os desacompanhados.

O Unicef também defende o fim da detenção de crianças buscando refúgio ou migrando e a promoção de medidas para combater a xenofobia, descriminação e marginalização em países de trânsito e destino.

A agência também destaca a necessidade de manter as famílias unidas como a melhor forma de proteger as crianças e dar a elas status legal.

O Unicef defende que sejam garantidas oportunidades de aprendizado a todos os menores refugiados e migrantes, assim como acesso a cuidados de saúde e outros serviços.

A agência ressalta ainda a importância de abordar as causas do movimentos de migrantes e refugiados em grande escala.

Notícias Relacionadas:

Mais de 8 mil migrantes resgatados no Mediterrâneo nos últimos dias

Unicef lamenta seis anos de “carnificina” na Síria

Relatores da ONU marcam 3º aniversário do rapto de meninas em Chibok

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 25 DE ABRIL DE 2017
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 25 DE ABRIL DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

abril 2017
S T Q Q S S D
« mar    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930