Descobertas 17 valas comuns na República Democrática do Congo

Ouvir /

Investigadores da ONU confirmam a existência das valas na província Kasai Central; região foi palco de confrontos entre soldados e integrantes da milícia local Kamuina Nsapu que resultaram em mais de 70 mortos.

Investigadores das Nações Unidas confirmam a existência de mais 17 valas comuns na província Kasai Central, na República Democrática do Congo. Foto: Monusco/Biliaminou Alao

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque.

Investigadores das Nações Unidas confirmam a existência de mais 17 valas comuns na província Kasai Central, na República Democrática do Congo. O local foi palco de confrontos entre soldados e integrantes da milícia local Kamuina Nsapu.

Com isso, sobe para 40 o total de valas comuns encontradas pela ONU no país desde agosto de 2016. Entre as valas recém-descobertas, 15 ficam num cemitério.

Mortes

A equipa da ONU conseguiu informações que revelam que soldados das Forças Armadas da RD Congo cavaram os túmulos após conflito com as milícias em março. Pelo menos 74 pessoas, a incluir 30 crianças, teriam sido mortas pelos soldados.

Os investigadores também visitaram a cidade de Kananga para buscar relatos sobre alegações de abusos. Entre os dias 28 e 30 de março, os soldados do exército teriam atirado e matado 40 pessoas, a incluir 11 crianças e 12 mulheres.

Outras 21 pessoas ficaram feridas. As vítimas teriam sido assassinadas em suas casas, quando os soldados bateram de porta em porta à procura dos integrantes das milícias.

Sequestro

Muitos corpos foram enterrados nas valam comuns. A ONU também recebeu relatos de mulheres e raparigas abusadas sexualmente pelos soldados.

Por sua vez, a milícia Kamuina Nsapu é acusada de recrutar centenas de crianças e de atacar prédios do governo, escolas, hospitais, igrejas e estações policiais. No dia 30 de março, os integrantes da milícia atacaram uma igreja e sequestraram um padre e uma freira, que só foram libertados após o pagamento da fiança no dia a seguir.

Horror

O alto comissário de Direitos Humanos da ONU declarou que as "descobertas de mais valas comuns e os relatos de violações e abusos destacam o horror que está a ocorrer em Kasai nos últimos nove meses".

Segundo Zeid Al Hussein, é "vital que o governo da RD Congo tome passos significativos para garantir que exista uma investigação rápida, transparente e independente para estabelecer fatos e circunstâncias das violações de direitos humanos".

O alto comissário também pede acesso a todas as valas comuns e a todas as testemunhas da violência, a incluir as que estão detidas. Zeid afirma estar pronto para pedir o apoio internacional para uma investigação no Tribunal Penal Internacional.

Notícias Relacionadas:

RD Congo: 5 milhões por ano correm risco de contrair cólera

RD Congo: confrontos e emergência afetam 1,7 milhão de pessoas em Kasai

Reforma das Missões de Paz é prioridade dos EUA no Conselho de Segurança 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE SETEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE SETEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

setembro 2017
S T Q Q S S D
« ago    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930