Metade da população mundial poderá ter dificuldades para obter água em 2030

Ouvir /

Painel internacional cita atuais níveis de consumo de água e de poluição como problemas; se a tendência continuar, a demanda por água poderá crescer 40%, exigindo gastos de US$ 200 bilhões por ano.

Redução do desperdício ea 120 bilhões de metros cúbicos de água. Foto: Banco Mundial

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

Se os atuais níveis de consumo e de poluição da água continuarem, é possível que metade da população mundial enfrente dificuldades para obter o recurso natural em 2030.

O alerta é do Painel Internacional de Pesquisa, ligado ao Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma. Vários fatores poderão aumentar de forma dramática a demanda por água: aumento da urbanização e da população, mudança climática e consumo de alimentos.

Custos

Se a tendência atual continuar, a demanda por água será 40% maior daqui a 15 anos. Com isso, o relatório indica que os governos serão forçados a gastar US$ 200 bilhões por ano com o abastecimento de água, sendo que a média histórica alcançada é entre US$ 40 bi a US$ 45 bilhões.

O diretor-executivo do Pnuma comentou os dados divulgados esta segunda-feira e lembrou que o "acesso à água limpa é a base do desenvolvimento sustentável".

Segundo Achim Steiner, quando as pessoas mais pobres não têm acesso à água potável, elas acabam gastando boa parte da renda comprando água ou passam muito tempo transportando o bem natural.

África

O Painel Internacional de Pesquisa do Pnuma é um grupo formado por 27 cientistas renomados, 33 governos nacionais e outros grupos. Os pesquisadores revelam que na África Subsaariana, a demanda por água pode aumentar 283% em 2030, se for feita a comparação com os níveis de 2005.

O estudo mostra ser possível separar o uso de água do crescimento econômico. Na Austrália, por exemplo, o consumo de água caiu 40% entre 2001 e 2009, enquanto a economia cresceu 30%.

O relatório traz uma lista de fatores que irão levar ao aumento da demanda por água. O setor agrícola, por exemplo, é responsável por 70% da retirada de água fresca. Com o aumento da população, aumentará a demanda por comida e consequentemente, a pressão sobre o recurso natural.

Mas na Índia, é possível reduzir a lacuna entre estoque de água e demanda em até 80%, se forem utilizadas técnicas específicas na produção agrícola, como o uso de fertilizantes orgânicos.

Possível Economia

Na África do Sul, a lacuna entre estoque e demanda é de 2,9 bilhões de metros cúbicos. Se o país melhorar a produtividade da água, será possível economizar US$ 150 milhões por ano até 2030.

Nos centros urbanos, será possível economizar entre 100 bilhões a 120 bilhões de metros cúbicos de água se forem reduzidos os vazamentos em residências e prédios públicos ou comerciais.

Os especialistas observam que os governos investem de forma pesada em mega projetos como canais, aquedutos, reservatórios de água e sistemas de encanamento. Para o painel, na maioria das vezes essas soluções são ineficazes e muitas não são amigas do ambiente.

A recomendação vai para a criação de planos de manejo de água que levem em conta a fonte, a distribuição do recurso, o uso econômico, o tratamento, a reciclagem, o reuso da água e seu retorno para o meio ambiente.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 16 DE SETEMBRO DE 2016
JORNAL DA ONU - BRASIL (5 MIN), 16 DE SETEMBRO DE 2016
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

setembro 2016
S T Q Q S S D
« ago    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930