Suspenção das hostilidades já entrou em vigor na Síria

Ouvir /

Conselho de Segurança aprova resolução sobre fim das hostilidades no país; o enviado especial das Nações Unidas, Staffan de Mistura, afirmou que forças sírias e grupos armados de oposição anunciaram compromisso com o acordo.

Conselho de Segurança da ONU. Foto: ONU/Devra Berkowitz

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança adotou por unanimidade uma resolução que endossa a suspensão de hostilidades na Síria, que entrou em vigor nesta sexta-feira.

Participando por videoconferência, de Genebra, o enviado especial das Nações Unidas para a Síria, Staffan de Mistura, afirmou que esta reunião do Conselho tem um "significado especial" no que se espera ser um dia "excepcional" para os sírios.

Acesso Humanitário

De Mistura afirmou que as questões humanitárias estiveram no centro das últimas deliberações do Grupo Internacional de Apoio à Síria, em Munique, na Alemanha, levando à criação de uma força-tarefa.

O Grupo Internacional inclui a ONU, a Liga Árabe, a União Europeia e 17 países.

O enviado especial citou que "assistência humanitária urgentemente necessária" foi entregue a áreas sitiadas.

Força-Tarefa

Ainda nesta sexta-feira, de Mistura se reuniu com representantes dos Estados Unidos e da Rússia, que são os co-presidentes da força-tarefa para a suspensão das hostilidades e o cessar-fogo.

Segundo ele, os dois líderes disseram que os principais atores sírios anunciaram sua disponibilidade em participar da suspensão das hostilidades, entrando em vigor à meia-noite, pelo horário de Damasco, sete da noite pelo horário de Brasília.

Suspensão das Hostilidades

Os grupos armados de oposição anunciaram seu compromisso em, entre outras coisas, participar das negociações políticas mediadas pela ONU; interromper ataques com quaisquer armas, incluindo foguetes e morteiros, contra as forças armadas sírias e associados.

Além disso, eles prometeram não tentar adquirir territórios de outras partes do acordo; permitir acesso humanitário; e usar força proporcional, se e quando responderem em defesa própria.

Ao mesmo tempo, as Forças Armadas sírias e associados "se comprometeram a respeitar exatamente os mesmos pontos".

Ataques Aéreos

Segundo o enviado especial, isso significa interromper ataques com quaisquer armas, incluindo bombardeios pelas forças aéreas síria e russa contra grupos armados de oposição e participantes da suspensão das hostilidades.

A força-tarefa vai supervisionar a medida. De Mistura afirmou ainda que grupos terroristas designados pelo Conselho de Segurança, como o grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil, e a Frente al Nusra não fazem parte da suspensão das hostilidades.

Para o enviado especial, o acordo de suspensão de hostilidades, antecedido de "discussões longas e detalhadas" e resultado de "consultas e negociações intensas, incluindo no nível mais alto, é, em si mesma, "uma grande realização".

O acordo sobre os termos para uma interrupção nacional nas hostilidades na Síria, anunciado pelo secretário de Estado americano, John Kerry, e pelo ministro das Relações Exteriores russo, Sergey Lavrov, na segunda-feira  foi saudado pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

Leia Mais:

"Mundo está vendo intensificação de envolvimento militar externo na Síria” | Rádio das Nações Unidas

Diplomatas concordam com suspensão das hostilidades na Síria | Rádio das Nações Unidas

 

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031