Países mais pobres do mundo têm oito entre 10 casos de câncer cervical

Ouvir /

No Dia Mundial contra o Câncer, secretário-geral da ONU lembra que já existem conhecimentos e ferramentas para proteger todas as mulheres do mundo; Ban Ki-moon pede fim da injustiça porque doença pode ser prevenida; especialista sugere mudança radical nos estilos de vida.

Na Jamaica, enfermeira conduz exame para detectar câncer cervical. Foto: OMS/S. Bones

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

No Dia Mundial contra o Câncer, nesta quinta-feira, 4 de fevereiro, as Nações Unidas estão defendendo uma maior prevenção e controle da doença. O secretário-geral Ban Ki-moon quer o "fim das tragédias" associadas ao câncer.

Segundo ele, um terço dos casos poderiam ser evitados, muitos podem ser curados se o estágio for inicial e mesmo em casos de câncer avançado, "os pacientes devem ter o benefício dos cuidados paliativos".

Diagnósticos

Ban pede o "fim da injustiça ligada ao sofrimento de uma condição que pode ser prevenida". A mensagem do chefe da ONU foca no câncer cervical, que afeta principalmente mulheres dos países mais pobres do mundo, onde são diagnosticados oito entre 10 casos.

Ban Ki-moon lembra que já existem o conhecimento e as ferramentas necessárias para que todas as mulheres do mundo sejam protegidas. Ele cita alguns exemplos de prevenção do câncer cervical: vacinas para evitar o HPV, exames ginecológicos e tratamento preventivo no pré-câncer.

Jovens 

Outro câncer muito comum entre as mulheres é o de mama. De São Paulo, o  médico e diretor do Instituto Vencer o Câncer, explicou que os casos subiram 20% nos últimos cinco anos.

Ao ser questionado pela Rádio ONU sobre o número cada vez maior de pacientes jovens, Fernando Maluf revelou que o fator hereditário tem pouca relação.

Mudança Radical

"De cada 10 casos de câncer, só um caso tem origem puramente genética. O triste sinal é que o modo de vida do mundo moderno não é um modo de vida da qual a nossa máquina foi desenvolvida para suportar. Suportar, por exemplo, os males do tabaco, da ingestão abundante de álcool, os males dos alimentos artificiais ou do açúcar em excesso. Por isso a gente começa a ver cada vez mais casos de câncer em pessoas jovens, o que no passado era uma coisa extremamente rara."

O médico Fernando Maluf defende que as pessoas adotem uma "mudança radical em seus estilos de vida", medida importante para prevenir o câncer. A mudança deve envolver atividade física e alimentação saudável.

Pela previsão do Instituto Nacional de Câncer, o Brasil deve registrar neste ano mais de 596 mil novos casos, principalmente de pele, próstata, mama, cólon e reto.

Leia Mais:

Aleitamento materno reduz mortalidade infantil

Infecção alimentar mata 420 mil pessoas por ano no mundo

OMS classifica como cancerígenas carnes processadas

 

 

 

 

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031