Guterres faz balanço de 10 anos no comando do Acnur

Ouvir /

António Guterres foi substituído por Filippo Grandi que assume mandato de cinco anos; ele disse que um de seus maiores desafios foi a crise de refugiados do ano passado que atingiu especialmente Europa, África e Oriente Médio.

António Guterres em encontro com refugiados sírios no Líbano. Foto: Acnur

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O ex-chefe do Alto Comissariado da ONU para Refugiados António Guterres fez um balanço dos 10 anos no comando da agência.

Guterres foi substituído por Felippo Grandi que assume um mandato inicial de cinco anos à frente da agência das Nações Unidas.

Crise de Refugiados

Em entrevista à porta-voz do Acnur, Melissa Fleming, ele afirmou que um de seus maiores desafios no cargo foi a crise de refugiados do ano passado. A crise atingiu o mundo inteiro, mas especialmente a Europa, África, Ásia e o Oriente Médio.

Guterres disse que "o mundo viu uma aceleração dos deslocamentos nos últimos anos". Ele explicou que "de 2010 a 2015, o número de pessoas deslocadas por conflitos diariamente aumentou quatro vezes. Isso significa que o mundo está registrando cada vez mais conflitos e cada vez mais pessoas estão sendo obrigadas a fugir e os conflitos antigos continuam e ninguém consegue encontrar uma solução".

O ex-chefe do Acnur lembrou que há 10 anos a agência ajudava 1 milhão de pessoas a voltarem para casa com segurança e dignidade todos os anos e que em 2015 foram apenas 24 mil.

Impacto

Ele afirmou que tudo isso está acontecendo sem muito impacto na opinião pública global ou nas discussões políticas globais.

Guterres citou ainda que a Europa estava totalmente desorganizada e dividida para receber os refugiados e migrantes.

Com isso, ele afirmou que em vez de implementar uma recepção apropriada o que se viu viu foi uma multidão entrando em cidades e vilarejos. Isso causou um alto nível de ansiedade entre os moradores que pensavam numa "invasão".

Na opinião de Guterres, a forma de combater esse tipo de problema é lidar com as causas desse deslocamento mas principalmente organizando o movimento dos refugiados, com avaliação e registro das pessoas que chegam e o transporte delas para outras regiões e países.

Leia Mais:

Europa recebeu mais de 1 milhão de refugiados e migrantes em 2015

Síria está sofrendo uma “fuga maciça de cérebros”

“2015 será lembrado como o ano das tragédias envolvendo migrantes”

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031