Timor-Leste tem menos nascimentos com pessoal qualificado entre lusófonos

Ouvir /

Brasil lidera grupo de países com 98 partos que têm o tipo de assistência; novo relatório indica que Angola tem expectativa de vida mais baixa entre as nações de língua portuguesa; esperança de vida global é de 69 anos para homens e 74 anos para mulheres.

Em Timor-Leste, 29% de partos são assistidos por pessoal de saúde qualificado. Foto: Unfpa

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Em Timor-Leste, 29% de partos são assistidos por pessoal de saúde qualificado. Trata-se do país lusófono com a menor percentagem de mulheres que tiveram o tipo de assistência entre 2010 e 2014.

De acordo com um relatório publicado esta quinta-feira pelo Fundo de População das Nações Unidas, Unfpa, a Guiné-Bissau tem a segunda proporção mais baixa com 45%.

Nascimentos

Angola tem 47% dos nascimentos com auxílio de pessoal de saúde habilitado, enquanto em Moçambique são 54%, em Cabo Verde 78% e em São Tomé e Príncipe 82%.

O Brasil tem 98 de cada 100 nascimentos assistidos por pessoal qualificado, a mais alta taxa entre os países de língua portuguesa. Portugal não tem dados sobre o tema disponíveis no informe.

O documento Situação da População Mundial em 2015 – Abrigo da Tempestade revela que 507 mulheres perdem a vida em todo o mundo devido a complicações da gravidez ou do parto.

Esperança de Vida

O relatório  ilustra vários indicadores da Conferência da ONU sobre População e Desenvolvimento. Um dos destaques é a esperança de vida global de 69 anos para os homens e 74 anos para as mulheres.

Em média, as mulheres também devem viver mais nos países lusófonos, onde Portugal tem a expectativa mais alta. São 77 anos para o sexo masculino e 81 para o feminino.

A expectativa é mais baixa em Angola onde os homens podem esperar viver 50 anos e as mulheres 53.  Guiné-Bissau varia entre 53 para o sexo masculino e 57 para o feminino. Moçambique a taxa é 53 para homens e 56 anos para mulheres.

Em Timor-Leste a expectativa de vida para a população masculina é 66 anos e para a feminina 70.

Seguindo a mesma ordem de géneros a tabela revela a média  em São Tomé e Príncipe,  onde homens esperam vivem 64 anos e as mulheres 68, no Brasil 70 e 78 anos e em Cabo Verde 71 e 75 anos.

Os dados sobre a esperança de vida incluem pesquisas realizadas entre 2006 e 2014 e informações de nascidos vivos entre 2010 e 2015.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031