Sucesso de negociações do Burundi deve permitir avanços em África

Ouvir /

Declarações foram feitas à Rádio ONU pelo embaixador angolano junto às Nações Unidas; Angola coordena o grupo do Conselho de Segurança que trata da prevenção e resolução de conflitos em África.

Conselho de Segurança da ONU aprova resolução sobre o Burundi. Foto: ONU/Loey Felipe

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O embaixador de Angola junto às Nações Unidas disse à Rádio ONU que a comunidade internacional deve promover uma maior inclusão no Burundi.

Ismael Martins falou à Rádio ONU, de Luanda, sobre o processo de paz burundês que recomeçou esta segunda-feira em Kampala, no Uganda. Angola lidera o grupo de Estados-membros do Conselho de Segurança que trata da prevenção e resolução de conflitos em África.

Inimigos

“Nós como comunidade internacional temos que fazer as leituras apropriadas: trabalhar com os burundeses, levá-los a maior inclusão do resto da população. Os opositores devem ser opositores e não inimigos para construir juntos.”

De acordo com o diplomata angolano, o Conselho de Segurança e a União Africana devem enviar em breve as suas delegações ao país africano, como parte de ações para travar o início de um conflito.

Grandes Lagos

O Burundi foi o primeiro ponto de uma digressão realizada há dias. Angola fez parte da deslocação como presidente da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos, um mandato bienal que termina este ano.

O embaixador disse que o presidente Pierre Nkurunziza foi abordado pelos representantes que destacaram as alternativas para a paz no Burundi.

“Estivemos no Burundi, no Ruanda e no Uganda acompanhados pela comunidade internacional nomeadamente a própria União Africana e as Nações Unidas. Este diálogo inclusivo vai fazer com que burundeses se reencontrem e, ao se reencontrarem  trazer a paz numa região que precisa, para todo o resto do continente e para que aquela região da África Central e dos países da Sadc (Comunidade dos Países da África Austral) para que essa parte grande e muito importante do continente africano possa voltar a uma estabilidade que permita também o crescimento económico.”

Refugiados

Na segunda-feira, a mesa de diálogo de Kampala teve representantes do governo, da oposição e da sociedade civil do Burundi. O processo deve prosseguir na Tanzânia a partir de 6 de janeiro.

As Nações Unidas estimam que a violência pode ter provocado a morte de mais de 400 burundeses desde abril. Os países vizinhos acolhem cerca de 220 mil refugiados do país.

As negociações são acompanhadas pelo enviado do secretário-geral das Nações Unidas para o Burundi, Jamal Benomar.

Leia Mais:

ONU reitera apoio internacional no reinício de negociações sobre o Burundi

Angola fala de crises que afetaram atuação conjunta da Cplp

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031