Representante da ONU faz novo apelo a líderes israelenses e palestinos

Ouvir /

Em reunião no Conselho de Segurança, secretário-geral assistente para Assuntos Políticos pede que medos políticos sejam deixados de lado, para que o foco seja a paz a longo prazo; Miroslav Jenca quer nova estratégia para a região.

Miroslav Jenca no Conselho de Segurança, nesta quarta-feira. Foto: ONU/Rick Bajornas

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Um representante das Nações Unidas pediu aos líderes israelenses e palestinos para que "mostrem uma visão sem precedentes" e dêem os passos necessários para a paz na região.

Miroslav Jenca é secretário-geral assistente para Assuntos Políticos e participou esta quarta-feira de um debate no Conselho de Segurança. Ele citou os ataques palestinos contra israelenses, a impunidade nos casos de violência durante assentamentos impostos aos palestinos e a "impressão de uma ocupação sem fim".

Estratégia

Uma vez por mês o Conselho de Segurança promove um encontro sobre o Oriente Médio e na sessão de dezembro, Jenca declarou que "as circunstâncias atuais não podem ser aceitas como a nova norma".

Segundo o representante, uma "estratégia compreensiva para limitar a ameaça da violência não pode depender somente do reforço de medidas de segurança". Essa estratégia também precisa tratar das principais razões que motivam a raiva dos palestinos.

Jenca disse que líderes de Israel e da Palestina têm a responsabilidade de parar com o incitamento da violência e se posicionarem de forma inequivocada contra atos de terror e de violência.

Chances

Mas para ultrapassar os desafios atuais, será necessário que as lideranças enxerguem para além dos confrontos e criem um futuro pacífico. Ele lamentou, entretanto, que as chances do conflito acabar agora parecem mais distantes do que nunca.

O secretário-geral assistente da ONU fez um apelo para que as causas que levam ao extremismo não sejam ignoradas. Segundo Jenca, "as vozes extremistas querem capitalizar com o lado mais escuro das emoções humanas, buscando sabotar qualquer esforço genuíno para a construção da confiança".

Apesar de uma redução da violência, tiroteios, casos de pessoas esfaqueadas e ataques com veículos de palestinos contra israeleses continuam. Os suspeitos são muitas vezes mortos e os confrontos continuam. Segundo Jenca, sete israelenses e 34 palestinos foram mortos no último mês.

Gaza

Em nome do secretário-geral, ele reforçou a condenação da ONU a todos os ataques terroristas. Miroslav Jenca falou ainda sobre as injustiças ligadas à ocupação de territórios palestinos. Os jovens não têm perspectivas de que essas ocupações acabem e assim, acreditam "que nada tem a perder ao sacrificar suas vidas".

O representante também denunciou restrições de movimento de palestinos, limitação do acesso a serviços básicos e demolições que Israel fez de casas palestinas no Vale da Jordânia.

Sobre a situação em Gaza, Jenca afirmou que apesar de desafios de segurança e falta de financiamento, os trabalhos de reconstrução avançaram. Já foram feitos reparos em mais de 90% das escolas e dos hospitais danificados no conflito ocorrido no verão de 2014.

Leia Mais:

Unrwa lança campanha para aquecer palestinos durante o inverno

ONU pede ação para acabar com impasse entre israelenses e palestinos

ONU condena ataques terroristas em Israel e Cisjordânia 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 8 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031