Moçambique regista avanços a nível de politicas económicas

Ouvir /

Visão é do economista Finn Tarp, que está em Maputo no âmbito do Forum Mozefo; o especialista da Universidade da ONU afirma que apesar dos avanços, a ausência de dados estatísticos dificulta as análises comparativas sobre as políticas económicas.

Avanços na luta contra a pobreza em Moçambique. Foto: Unicef

Ouri Pota, da Rádio ONU em Maputo

Moçambique está no bom caminho na luta contra a pobreza, mas trata-se de uma luta que envolve etapas. Esta é a avaliação do economista e professor da Universidade das Nações Unidas, Finn Tarp, em conversa com a Rádio ONU em Maputo.

"Para mim o mais importante em Moçambique é o ataque à pobreza, porque a pobreza é a causa da instabilidade. E é a causa de que de facto a paz em alguns lugares é um pouco fraca. Sem desenvolvimento e combate à pobreza, o desenvolvimento não vai ocorrer bem, a paz não existirá. Este é o ponto que eu penso ser chave. Moçambique pode atingir níveis altos de desenvolvimento mas requer um esforço focado em relação à cultura."

Avaliação

No combate a pobreza, o economista cita a importância dos dados estatísticos para a abordagem sobre a economia.

"É necessário de ter cuidado quando falamos de políticas económicas. É necessário para nós termos os dados e depois podemos começar avaliar e fazer comparação entre 1996, 2002, 2008 e 2014. É claro que, se a análise que sai do que as pessoas dizem não é correcto, podem chegar as conclusões incorrectas e isso não é justo."

Aposta no sector agrário é uma das soluções para o desenvolvimento em Moçambique, na avaliação de Finn Trap.

Investimento

" Há muitas pessoas ainda em pobreza e ainda há fome.O importante é assegurar que um camponês e a família podem de facto viver de uma maneira razoável. De uma maneira justa. Para isso requer investimento no setor agrário, requer sementes, mercado , infra-estrutura e que requer que a economia funcione e que haja posto de saúde onde as crianças podem ir quando estão doentes."

Finn Tarp tem 35 anos de experiência em pesquisa e docência na área económica. A sua experiência de campo abrange cerca de 20 anos de trabalho em mais de 35 países africanos com destaque a Moçambique, Suazilândia e Zimbábue. Sua área de pesquisa abrange  questões de estratégia de desenvolvimento e de ajuda externa com enfoque na pobreza, distribuição de rendimento, crescimento económico, políticas económicas e modelagem.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031