Mais de 2,5 bilhões no mundo não têm acesso ao saneamento básico

Ouvir /

Relator da ONU para o direito humano à água e saneamento lamenta que 1 bilhão de pessoas ainda precisam fazer suas necessidades a céu aberto; brasileiro Léo Heller elogia decisões da Assembleia Geral sobre o assunto.

Foto: Banco Mundial

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O relator das Nações Unidas para o direito humano à água e ao saneamento, Léo Heller, e o presidente da Comissão da ONU sobre Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, Waleed Sadi, estão celebrando uma decisão tomada pela Assembleia Geral.

O órgão reconheceu o "direito humano ao saneamento" como um direito distinto ao "direito humano à água potável". A decisão da Assembleia Geral foi comemorada porque 2,5 bilhões de pessoas ainda não têm acesso ao saneamento básico.

Saúde

Por conta disso, 1 bilhão de pessoas ainda precisam fazer suas necessidades a céu aberto, ou nove entre 10 moradores de áreas rurais. Segundo os especialistas da ONU, o direito ao saneamento é essencial para um padrão de vida adequado, totalmente ligado ao nível mais alto de saúde e ao direito humano à água.

Para Heller e Sadi, "o reconhecimento explícito da Assembleia Geral reafirma que o saneamento têm características distintas", o que garantiu o reconhecimento e o tratamento separado do direito à água.

Segundo eles, os governos tendem a relacionar os problemas de saneamento com a falta de água, esquecendo que latrinas e buracos em terra ainda são amplamente utilizados por pessoas que acabam tendo que lidar com a coleta e descarte dos rejeitos, sem receber apoio do governo.

Privacidade

Léo Heller declarou que "problemas de água e de saneamento precisam ser abordados de forma compreensiva em vários níveis".

O relator brasileiro acredita que "definições claras sobre o direito humano ao saneamento e o direito humano à água vão ajudar a comunidade internacional a dar mais atenção ao saneamento no contexto da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

A resolução da Assembleia Geral foi adotada por consenso na quinta-feira e reconhece que todos têm, sem discriminação, o direito ao acesso a um sistema de saneamento que seja higiênico, seguro, social e culturalmente aceitável, com privacidade e dignidade. 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 14 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 14 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031