Infecção alimentar mata 420 mil pessoas por ano no mundo

Ouvir /

Relatório da OMS revela que crianças com menos de cinco anos representam quase um terço desse total; agência da ONU diz que 10% da população global adoece todos os anos pelo consumo de alimentos contaminados.

Relatório afirma que uma uma em cada 10 pessoas no mundo adoece todos os anos por ingerir alimentos contaminados. Foto: PMA

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, afirmou que 420 mil pessoas morrem todos os anos de infecção alimentar no mundo.

O alerta consta do primeiro relatório da agência da ONU sobre doenças causadas por comida contaminada, lançado esta quinta-feira.

Crianças

A OMS diz ainda que quase um terço dessas mortes, 125 mil, acontece entre crianças com menos de cinco anos.

O documento mostra também que uma em cada 10 pessoas no mundo adoece todos os anos por ingerir alimentos contaminados. Isso representa mais de 600 milhões de pessoas, mais do triplo da população do Brasil.

As regiões mais afetadas pelo problema são a África e o sul e o leste da Ásia.

Segundo o relatório, as doenças alimentares são causadas por 31 agentes, que incluem bactérias, vírus, parasitas, toxinas e substâncias químicas.

Imprecisas

Para a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, "até agora, as estimativas sobre as doenças alimentares eram vagas e imprecisas".

Chan afirmou que "ao se saber quais as causas patogênicas que estão causando os maiores problemas e em que partes do mundo é possível a implementação de ações específicas pelo público, pelos governos e pela indústria de alimentos".

A Organização Mundial da Saúde disse que a diarreia é responsável por mais da metade dos problemas gerados pelos alimentos contaminados, deixando 550 milhões de doentes e 230 mil mortos por ano.

As crianças, especialmente, são as que mais sofrem com a diarreia, 220 milhões adoecem e 96 mil morrem anualmente.

Carne Crua

O problema é causado pelo consumo de carne crua ou mal passada, ovos, vegetais ou produtos derivados do leite contaminados pelo norovírus, pela salmonela e pelo E.coli.

O relatório cita ainda outras causas de doenças e mortes como a febre tifoide e a hepatite.

Segundo a OMS, o risco de doenças alimentares é mais alto em países de baixa e média rendas. Geralmente, nesses locais a comida é preparada com o uso de água contaminada, pouca higiene e em condições inadequadas para a produção e o armazenamento de alimentos.

Ainda falando sobre os riscos, os especialistas mencionam regiões com baixos níveis de educação e sem leis suficientes para segurança alimentar.

Câncer

Os médicos alertam que as doenças transmitidas pela comida podem causar sintomas de curto prazo como náuseas, vômitos ou diarreia, em referência à intoxicação alimentar.

Mas eles dizem que elas podem ter efeitos de longo prazo, como o câncer e problemas renais ou neurológicos. Essas doenças podem ser mais graves em crianças, mulheres grávidas, idosos ou nos que tenham algum problema no sistema imunológico.

A OMS pede a governos, indústria e ao público em geral que adotem medidas para garantir a segurança dos alimentos e prevenir as doenças causadas pela comida contaminada.

A agência da ONU está trabalhando com vários países para ajudar na criação e na implementação de estratégias e políticas para reduzir o problema.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 13 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 13 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031