Economista apela a mais trabalho para combate à pobreza em Moçambique

Ouvir /

Manuel Filipe  analisa o Relatório do Desenvolvimento Humano 2015;  país teve uma evolução média anual de cerca de 1,66% nos últimos 35 anos;  área tecnologia apontada como uma das potenciais para avanço da economia.

Combate à pobreza em Moçambique para garantir subsistência das famílias e capacitar indivíduos. Foto: Rádio ONU/Ouri Pota

Ouri Pota, da Rádio ONUem Maputo.

"Trabalho para o Desenvolvimento Humano" é tema do Relatório de Desenvolvimento Humano de 2015 apresentando em Maputo. O lançamento global do documento foi feito pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, esta terça-feira, em Adis Abeba, na Etiópia.

Em conversa com a Rádio ONU, o economista moçambicano, Manuel Filipe citou a importância dos dados contidos no documento.

Crescimento

"Mais importante ainda é o nível de renda que Moçambique pode mostrar que adquiriu ao longo desses anos, isso, é muito importante. Mas do que índice é o crescimento das componentes que fazem o índice, que é a longevidade, acesso de crianças a educação, acesso ao conhecimento para os adultos, padrões de vida que estão melhorados".

O especialista destacou também a importância do uso e adesão das tecnologias no trabalho para o desenvolvimento do país.

Tecnologia

"Hoje qualquer indivíduo tem acesso a tecnologia e faz uso dessa tecnologia para determinar coisas no mercado de trabalho. Hoje um individuo com um celular pode fazer uma empresa sentado em casa, isto mudo, à dinâmica de como o emprego é gerido, como a gestão do negócio, a produção dos bens e serviços acontece. A tecnologia é um elemento que deve-se prestar atenção, não podemos ficar a olhar para ela, porque vamos ficar para trás".

Segundo o relatório, o trabalho contribui para o bem público, para redução de desigualdades, garante subsistência das famílias e capacita indivíduos. Manuel Filipe reforça a recomendação com um apelo ao trabalho.

Desafios

"O relatório impõe bastantes desafios, porque o relatório vem chamar atenção que o mercado do trabalho está a mudar, que as condições criadas para o crescimento do índice ainda não estão suficientes para tirar o país, de um país pobre; porque o país começou muito baixo, tem que trabalhar muito para poder sair desta posição, tem que considerar e apreender de outros países que tem condições similares para ver como se pode ir para frente".

Entre 1980 e 2014, o valor do Índice do Desenvolvimento Humano de Moçambique aumentou de 0,238 para para 0,416. O aumento de 75% corresponde a uma evolução média anual de cerca de 1,66%.

Leia mais:

África : Cabo Verde lidera indice de desenvolvimento Humano nos lusófonos

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031