Técnicas nucleares ajudam a combater as terras secas no Quénia

Ouvir /

Segundo agência da ONU, quase 80% do solo queniano é formado por terras áridas e semi-áridas; trabalho da Aiea ajuda a melhorar a fertilidade do solo e o manejo da água.

O projecto deve crescer e está planeada a inclusão da tecnologia móvel para a partilha de informação com os agricultores. Foto: ONU/Ray Witlin

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Segundo a Agência Internacional de Energia Atómica, Aiea, quase 80% do solo do Quénia é formado por terras áridas ou semi-áridas. A mudança climática está a ameaçar esse "ecossistema frágil", na avaliação da agência da ONU.  

A Aeia explica que as práticas agrícolas do país já resultam num pobre crescimento das plantações; baixa produtividade das culturas e dos vegetais e séria degradação da terra.

Solo Fértil

As condições do clima tornam a seca e a falta de água dois problemas comuns. Mas com a utilização de técnicas nucleares, a Aiea está a ajudar o Quénia a melhorar a fertilidade dos solos e o manejo da água.

O projeto tem a duração de cinco anos. A Aiea trabalha com cientistas e laboratórios locais para determinar a quantidade de carbono perdido do solo e os efeitos da seca nas plantações do Quénia.

Treinos

É possível medir também a quantidade de fertilizantes e de água utilizada e checar a taxa de evaporação. Os dados gerados nos testes vão ajudar no planeamento de recomendações para os agricultores quenianos.

A Aiea afirma que mais de 300 agricultores foram treinados com as técnicas de conservação do solo e da água, tendo em vista a melhoria da produtividade. A maioria tem obtido bons resultados. Muitos agora conseguem colher mais de 10 toneladas de pasto por hectare.

Telemóvel

No caso das plantações de milho, a colheita de 500 kg por hectare subiu em média para 1,2 tonelada por hectare. Para a Aiea, o "uso de técnicas nucleares é essencial para o Quénia conseguir que os sectores agrícola e pecuário sejam modernos e produtivos".

Outro benefício é ajudar a combater os efeitos da mudança climática. O projecto deve crescer e está planeada a inclusão da tecnologia móvel para a partilha de informação com os agricultores.

Assim que a medida for posta em prática, será possível enviar aos agricultores, via telemóvel, informações sobre a quantidade de fertilizante que se deve utilizar e quando e como irrigar as plantações.

Diretor da Aiea ressalta importância da ciência para o desenvolvimento

Diretor de agência nuclear da ONU termina visita ao Irã

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031