Serra Leoa é declarada livre do ebola

Ouvir /

OMS confirma que nenhum caso foi registrado nos últimos 42 dias; mais de 8,7 mil pessoas no país foram infectadas e mais de 3,5 mil morreram; Serra Leoa entra num período de forte vigilância até fevereiro.

Trabalho nas comunidades foi essencial. Foto: OMS Serra Leoa/Martine Perret

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Serra Leoa foi declarada livre no ebola neste sábado pela Organização Mundial da Saúde, OMS. Durante os últimos 42 dias, nenhum caso foi registrado e a última pessoa no país com ebola recebeu um segundo resultado de exame de sangue negativo para o vírus.

A agência da ONU explica que o período de 42 dias representa dois ciclos de incubação. O representante da OMS em Serra Leoa afirmou que o primeiro caso havia sido registrado em maio do ano passado.

Nova Fase

Anders Nordström disse que desde então, 8.704 pessoas foram infectadas e 3.,589 morreram, sendo que 221 eram trabalhadores da área da saúde. Serra Leoa entra agora num período de 90 dias de vigilância reforçada.

Essa fase segue até 5 de fevereiro e a OMS vai continuar prestando apoio ao país no período. Segundo a agência da ONU, essa "nova fase é crítica para garantir que qualquer novo caso de ebola seja detectado rapidamente".

Ao declarar o país livre do surto, a OMS elogiou o governo e o povo de Serra Leoa por alcançar esse marco importante, alcançado com "intenso trabalho e compromisso, enquanto o país lutava contra uma epidemia de ebola sem precedentes na história".

Parcerias

A instalação de centros de tratamento, de equipes para realizar enterros seguros dos pacientes que não sobreviveram e o trabalho nas comunidades para identificar casos foram passos que contribuíram para o fim da transmissão.

A OMS lembra que parceiros internacionais prestaram apoio para que o governo pudesse manter a capacidade de detectar, identificar e encerrar novas cadeiras de transmissão com rapidez. Além disso, outros países contribuíram com assistência técnica, equipes, comida, equipamentos e suprimentos médicos.

Outros Países

Segundo a agência da ONU, além do impacto na saúde da população, o surto de ebola prejudicou a economia e a estrutura social de Serra Leoa, que ainda precisam se recuperar.

Cerca de 4 mil sobreviventes ainda tem problemas de saúde e precisam de tratamento médico e de apoio social. Os funcionários da OMS continuam em Serra Leoa ajudando na recuperação e na vigilância.

A Libéria também foi declarada livre do ebola em setembro. O único país que continua registrando casos é a Guiné, onde sete novos pacientes foram registrados nos últimos 21 dias.

Segundo a OMS, desde o início do surto, mais de 28,6 mil pessoas foram infectadas com o vírus, que matou 11,3 mil pacientes.

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031