Duras condições de inverno ameaçam vida de 3 milhões de crianças no Nepal

Ouvir /

Unicef alerta para o impacto da falta de combustíveis, comida e remédios;  200 mil menores continuam em abrigos temporários após terramotos de abril e maio; protestos impedem importação de artigos essenciais.

Situação das crianças e suas famílias tem vindo a piorar diariamente. Foto: Unicef.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, calcula que mais de 3 milhões de crianças menores de cinco anos estejam em risco de morrer ou de ficar doentes nos meses de inverno rigoroso.

Segundo um comunicado divulgado esta segunda-feira, as razões incluem a grave escassez de combustível, de alimentos, de medicamentos e de vacinas.

Restrições

Nas últimas semanas ocorreram protestos e tensões no país devido a uma nova constituição. Em nota, a agência também destaca que as principais vítimas podem ser crianças que recuperam dos dois terramotos ocorridos em abril e maio passados.

De acordo com o Unicef, as manifestações que tiveram lugar nas últimas 10 semanas provocaram restrições na importação de bens essenciais de primeira necessidade.

Pneumonia

Os receios aumentam com o potencial de poluição interior devido à crescente dependência das populações pela lenha, por causa da crise de combustíveis.

A possível inalação poderia levar a um aumento de casos de pneumonia, que em 2014 matou mais de 5 mil dos 800 mil menores de cinco anos que ficaram doentes.

Recém-nascidos

O Unicef chamou atenção particular para o risco de 155 mil recém-nascidos, que são esperados nos próximos dois meses. A falta de combustível atingiu os serviços de ambulância e fez cair o número de nascimentos em hospitais e centros de saúde.

O outro risco são os casos de hipotermia e de morte de recém-nascidos por causa da falta de combustível para aquecimento e para controlar a temperatura corporal dos bebés.

A agência informou que os armazéns de artigos médicos não têm as vacinas BCG contra a tuberculose e alertou para as baixas reservas de outras vacinas e antibióticos.

Mais de 200 mil crianças afetadas pelos terramotos continuam a viver em abrigos temporários. Os locais estão situados a mais de 1,5 mil metros de altitude onde prevê-se que as temperaturas sejam mais rigorosas neste inverno.

Medicamentos e Vacinas

O diretor do Unicef, Anthony Lake, considerou “uma combinação potencialmente mortal” os riscos de hipotermia e de malnutrição quando aliados à falta de medicamentos essenciais e de vacinas.

O alerta foi defendido pelo diretor do Unicef para o sul da Ásia, ao confirmar que a “situação difícil enfrentada pelas crianças e pelas suas famílias tem vindo a piorar diariamente”.

Karin Hulshof disse que as crianças carecem de proteção contra problemas como doenças, fome e frio. O representante apelou à resolução das restrições das importações de suprimentos essenciais para o Nepal.

*Apresentação: Denise Costa.

Leia Mais:

ONU recebeu apenas 46% do financiamento para ajuda humanitária

Entrevista: Kaká e o Dia Mundial da Ação Humanitária

 

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031