Sudão do Sul tem pessoas “à beira de uma catástrofe” devido à fome, diz estudo

Ouvir /

Análise revela haver 30 mil pessoas em condições extremas e a “enfrentar a fome e a morte” no estado de Unidade; insegurança alimentar grave afeta 3,9 milhões de sul-sudaneses.

Insegurança alimentar no Sudão do Sul. Foto: Unicef/Christine Nesbitt

Eleutério Guevane, da Radio ONU em Nova Iorque.

Agências das Nações Unidas alertaram esta quinta-feira que a fome extrema conduz as pessoas à beira de uma catástrofe em várias áreas do Sudão do Sul.

Cerca de 3,9 milhões de sul-sudaneses enfrentam insegurança alimentar grave, segundo a Classificação Integrada de Fases de Segurança Alimentar, IPC.

Acesso Urgente

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, o Fundo da ONU para a Infância, Unicef, e o Programa Mundial de Alimentação, PMA, pediram às partes em conflito um acesso urgente e irrestrito ao estado de Unidade.

Na região, a análise de segurança alimentar sublinha que pelo menos 30 mil pessoas vivem em condições extremas e “enfrentam a fome e a morte”.

Catástrofe

Os confrontos entre o Governo do Sudão do Sul e os rebeldes iniciaram há cerca de dois anos. Pela primeira vez, a análise menciona a existência de pessoas na fase máxima da escala de cinco pontos que é designada “catástrofe” no IPC.

A diretora do PMA no Sudão do Sul, disse que no início das colheitas devia ocorrer uma melhoria significativa na segurança alimentar em todo o país. A situação não ocorre em áreas como o sul do estado de Unidade.

Joyce Luma disse que as pessoas estão à beira de catástrofe evitável ao destacar que é preciso paz, alimentos nutritivos, assistência humanitária e meios de subsistência para a sobrevivência e a reconstrução das suas vidas.

Violência

As agências defendem que a insegurança alimentar poderia agravar a fome em áreas do estado de Unidade, onde a assistência humanitária é dificultada pela grave violência e pela falta de acesso durante os últimos meses.

Na região, várias famílias deslocadas disseram que sobrevivem apenas de uma refeição diária de peixe e de plantas aquáticas.

Crianças

O representante do Unicef afirmou que as doenças, o medo e a fome marcam o período desde o início dos combates.  Para Jonathan Veitch, as famílias estão sem formas de enfrentar esses problemas, tendo alertado que sem acesso “muitas crianças podem morrer. ”

O chefe da FAO no Sudão do Sul disse que prevê-se uma produção de cereais abaixo da média na safra de 2015 no Uganda, no Sudão e na Etiópia. O resultado deve ser o aumento dos custos para importar alimentos no mais novo país do mundo.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 13 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 13 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031