Representante da ONU apela a votação serena este domingo na Tanzânia

Ouvir /

Eleitores vão a votos nas quintas eleições multipartidárias no país da África Oriental; Álvaro Rodriguez  falou de uma carta enviada à organização sobre pessoas que querem continuar em centros de voto depois de exercerem o direito.

Cerca de 23,2 mil pessoas estão elegíveis para ir às urnas para escolher o novo presidente tanzaniano entre oito candidatos. Foto: ONU/Louise Gubb

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O representante das Nações Unidas na Tanzânia apelou às partes envolvidas no processo eleitoral a uma votação serena. No domingo, decorrem as quintas eleições multipartidárias do país.

Líderes

Falando à Rádio ONU, de Dar es Salaam, Álvaro Rodriguez disse que tal como vários tanzanianos e membros da comunidade internacional o seu apelo é que as eleições sejam pacíficas. Aos líderes políticos e comunitários, ele pediu que estes peçam aos seguidores que respeitem a lei, que tenham consideração mútua e com outros votantes “mesmo que apoiem aos outros partidos e candidatos”.

Respeito

Rodriguez lembrou o que chamou de “tradição importante da transição democrática” desde que a democracia foi adotada na Tanzânia, em 1992.  O responsável pediu o respeito ao direito de voto e aos resultados eleitorais.

Cerca de 23,2 milhões de pessoas estão elegíveis para ir às urnas para escolher o novo presidente tanzaniano entre oito candidatos. Estão igualmente em disputa  265 assentos no parlamento nos cerca de 65,1 mil locais de votação.

Carta à ONU

Em relação aos relatos dando conta de pessoas que pretendem permanecer na estação de voto após terem exercido o seu direito, Álvaro disse estar ciente de uma  carta enviada à ONU mas que ainda “não teve acesso a uma cópia”.

A imprensa local informou que partidos da oposição teriam enviado a correspondência à organização, na qual protestam contra uma recente declaração do presidente cessante, Jakaya Kikwete,  que desencoraja a prática.

Tribunal

Álvaro Rodrigues disse que o caso é muito interessante, mas lembrou que pela lei do país não é autorizada a concentração de pessoas até 200 metros do centro de votação. De acordo com o enviado, a questão foi levada a tribunal e uma decisão é iminente. Para ele, o mais importante é que a lei especifica o assunto e que a ONU respeita a lei do país.

Após considerar pacífica a campanha eleitoral que decorre até sábado, o representante disse que a ONU tem contribuído para que as eleições sejam livres e justas através de um programa executado nos últimos três anos.

Educação Cívica

A iniciativa inclui atividades para apoiar a gestão eleitoral, reforçar a qualidade do setor e auxiliar a educação cívica durante o período.

A intervenção da ONU envolveu estimular a participação feminina encorajando a participação de mulheres como candidatas e eleitoras.

As Nações Unidas apoiaram ainda ações da polícia para que sejam assegurados os princípios de direitos humanos no processo e do poder judicial, para que este possa mediar as disputas eleitorais nos tribunais.

Leia Mais:

Tanzânia cita medidas para combater assassinato de albinos

Acnur: Tanzânia abre novos campos para refugiados do Burundi

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031