Mortes por tuberculose diminuíram quase pela metade desde 1990

Ouvir /

Relatório da OMS destaca que 1,5 milhão de pessoas morreram pela doença no ano passado, sendo que a maioria poderia ser evitada; diagnóstico e tratamento corretos salvaram 43 milhões de vidas nos últimos 15 anos.

A OMS nota melhorias no tratamento, com 77% das pessoas com tuberculose e HIV recebendo antiretrovirais. Foto: ONU/Fardin Waezi

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A taxa de mortalidade por tuberculose caiu 42% na comparação com os índices de 1990. Esse é o principal resultado de um levantamento divulgado esta quarta-feira pela Organização Mundial da Saúde, OMS.

Mas ainda assim, 1,5 milhão de pessoas morreram pela doença no ano passado e a maioria dessas mortes poderia ser evitada. Muitos avanços foram alcançados a partir do ano 2000, quando foram implementados os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Brasil

Uma das metas era diminuir pela metade a incidência de tuberculose e do número de mortes, objetivo alcançado em vários países com o maior número de casos, incluindo Brasil, China, Índia e Uganda.

Segundo a OMS, diagnóstico e tratamentos eficientes ajudaram a salvar 43 milhões de vidas nos últimos 15 anos. Para a diretora-geral da agência, o controle da tuberculose "teve um impacto tremendo em termos de vidas salvas e de pacientes curados".

Aids

Margaret Chan destaca que se o mundo quiser acabar com a epidemia, é preciso ampliar os serviços e principalmente investir em pesquisas. A agência calcula que 9,6 milhões de pessoas tiveram tuberculose no ano passado, sendo que 12% desses novos casos foram registrados em pacientes com HIV.

Por dia, 4,4 mil pessoas morrem de tuberculose, o que para a OMS é "inaceitável", uma vez que é possível diagnosticar e curar os pacientes. No ano passado, 890 mil homens, 480 mil mulheres e 140 mil crianças morreram pela doença.

Ao lado do HIV, a tuberculose é causa líder de mortes no mundo. Mais da metdade dos casos ocorrem em cinco países: China, Índia, Indonésia, Nigéria e Paquistão. Entre os novos casos, 3,3% dos pacientes têm resistência aos medicamentos para curar a tuberculose.

Cura

Entre os avanços, 43 países reportaram a cura em mais de 75% dos pacientes. A OMS nota melhorias no tratamento, com 77% das pessoas com tuberculose e HIV recebendo antiretrovirais. E entre os pacientes com HIV, 1 milhão recebem terapia preventiva contra a tuberculose, um aumento de 60% na comparação com 2013.

Mas na avaliação da OMS, o financiamento ainda é curto. Dos US$ 8 bilhões necessários para detecção e tratamento, apenas US$ 1,4 bilhão foram alcançados. E segundo a agência, são necessários mais US$ 1,3 bilhão para o desenvolvimento de novos diagnósticos, remédios e vacinas.

A OMS lembra que os países-membros da agência adotaram uma estratégia que visa reduzir a incidência de casos de tuberculose em 80% e das mortes em 90% até 2030. Por isso, mais investimentos são necessários para a acabar com essa "ameaça global".

Leia Mais:

Unaids diz que ODS representam oportunidade histórica para o mundo

Na ONU, Jorge Sampaio recebe Prêmio Nelson Mandela

Comunidade internacional tem estratégia para acabar com a malária até 2030

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031