Após ataques, Acnur suspende voos para apoiar refugiados em vila do Chade

Ouvir /

Agência informou que seus funcionários e mais de 7,1 mil refugiados estão seguros perto de Baga Sola; aeronaves deverão lidar apenas com emergências; Conselho de Segurança pede cooperação internacional para punir responsáveis.

Pessoas vivem em condições desesperadoras. Foto: Acnur.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A série de ataques suicidas deste sábado na vila chadiana de Baga Sola provocou a suspensão de viagens do pessoal do Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, à área.

A agência apoia o campo de refugiados de Dar Es Salam, situado a 10 km da região do Lago Chade. O Acnur informou que tanto os seus funcionários como os cerca de 7,1 mil refugiados da Nigéria e do Níger abrigados no local estão seguros.

Emergência

As aeronaves da ONU estão, entretanto, de prontidão para evacuar as pessoas ou para transportar suprimentos de emergência, informou a agência.

Pelo menos 47 pessoas morreram nos atentados provocados por bombistas suicidas, que incluíram três mulheres e duas crianças.

Após lamentar a violência e a perda de vidas, um porta-voz do Acnur disse que as pessoas vivem em condições desesperadoras sem meios de subsistência, abrigo, comida e nem cuidados de saúde.

Zona de Guerra

Leo Dobbs disse que o tipo de trabalho executado pelo Acnur e pelos seus parceiros na área é muito importante, no que está a tornar-se efetivamente uma zona de guerra.

De acordo com a agência, 22 das vítimas morreram no acampamento de  Kousseri, onde o Acnur atua com parceiros no apoio e na proteção a dezenas de milhares de deslocados do conflito com as milícias nigerianas Boko Haram.

A agência declarou que nas últimas semanas intensifica o apoio para aliviar as dificuldades da área com 60 mil pessoas. As ações incluem a distribuição de artigos não alimentares essenciais para mais de 32,8 mil pessoas.

Muitos habitantes da região foram transferidos das suas casas no princípio do ano, quando o “Lago Chade tornou-se efetivamente uma zona de guerra”.

Estação Chuvosa

As condições para os deslocados são consideradas difíceis, onde a maioria está sem comida, abrigo e assistência médica. Algumas tendas improvisadas são feitas de redes mosquiteiras e oferecem pouca proteção para a estação chuvosa.

O ataque em Baga Sola foi o primeiro na área, tendo ocorrido no dia seguinte à morte de nove pessoas também vítimas de um bombista suicida em Kangaleri, no norte dos Camarões.

O Conselho de Segurança reagiu aos dois ataques com uma nota que sublinha a necessidade da cooperação internacional com os dois Estados para levar aos responsáveis, organizadores, financiadores e patrocinadores dos atos à justiça.

Leia Mais:

Ban pede encontro regional após ataque que matou pelo menos 30 no Chade

Na ONU, Angola propõe aliança internacional para combater o terrorismo 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 13 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 13 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031