Para relator, relação entre as duas Coreias está tomando um novo rumo

Ouvir /

Marzuki Darusman lida com a questão dos direitos humanos na Coreia do Norte; após visitar Coreia do Sul, ele declara estar otimista com possibilidade de reunificação de famílias e cita até chances de unificação.

Marzuki Darusman. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O relator especial das Nações Unidas para os direitos humanos na Coreia do Norte está encerrando sua primeira visita ao país vizinho, a Coreia do Sul. Na capital Seul, Marzuki Darusman afirmou que é hora de se "considerar medidas concretas" para garantir justiça aos casos de violações de direitos humanos e de crimes contra a humanidade.

Darusman disse que sua visita ocorre num momento em que a relação entre as duas Coreias "toma um novo rumo". Ele mencionou um acordo de 25 de agosto, quando representantes dos dois países discutiram uma maneira de retomar a reunificação das famílias que estão divididas entre as Coreias do Sul e do Norte.

Diálogo

Para o relator da ONU, esse é "um avanço promissor, que pode estimular o diálogo intra-coreano". Durante sua passagem pela Coreia do Sul, ele notou o aumento das referências e das discussões públicas sobre uma possível unificação dos dois países num futuro próximo.

Marzuki Darusman destacou que a unificação é primordial, mas a comunidade internacional precisa estabelecer de maneira firme e robusta a responsabilização de crimes contra a humanidade. Segundo o relator, esse é o caminho para melhorar a situação dos direitos humanos na península coreana.

Abusos

Na visita, o especialista teve reuniões com representantes dos Ministérios das Relações Internacionais e da Unificação da Coreia do Sul, integrantes de ONGs e funcionários do escritório de direitos humanos da ONU em Seul.

Darusman afirmou que continua preocupado com os norte-coreanos que são enviados pelo governo para outros países e obrigados a realizar trabalho forçado. Outras questões que preocupam são as alegações de sequestros, detenção de civis e a situação das mulheres no país.

O relator da ONU defende mais investigações sobre os casos, para que os responsáveis pelos crimes sejam identificados. Marzuki Darusman deve voltar à Coreia do Sul em novembro e vai apresentar um relatório ao Conselho de Direitos Humanos em março de 2016.

Leia Mais:

Ban incentiva “desescalada da situação” na Península Coreana

Unicef alerta que crianças estão em risco com seca na Coreia do Norte

Milhares de coreanos ainda aguardam chance de reencontro familiar

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 14 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 14 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031