Nenhum caso de ebola foi confirmado em Serra Leoa na última semana

Ouvir /

OMS destaca que forte envolvimento comunitário foi essencial para o marco, já que é a primeira vez que isso ocorre desde o início do surto; país entra na terceira fase de resposta, com foco em fechar as cadeias de transmissão.

Ao todo, 28 mil casos de ebola foram confirmados. Foto: Banco Mundial/Dominic Chavez

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

Segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS, nenhum caso de ebola foi registrado na última semana em Serra Leoa. Essa é a primeira vez que isso que isso acontece desde o início do surto, há mais de um ano.

A OMS acredita que o uso de equipes de resposta rápida ao surto e um forte envolvimento da comunidade em encontrar casos de ebola no país contribuíram para o marco.

Trabalho Intensivo

O representante da OMS em Serra Leoa, Anders Nordstrom, afirmou ser uma boa notícia, mas ele lembra que "é preciso continuar o trabalho intensivo com as comunidades para identificar potenciais novos casos" e assim, interromper com rapidez a transmissão.

Agora, a resposta ao ebola no país passa para a terceira fase, com foco em rastrear toda e qualquer cadeia de transmissão do ebola e fechar as cadeias de transmissão restantes o mais rápido possível.

O rastreio das cadeias de transmissão funciona da seguinte maneira: primeiro, é preciso encontrar todas as pessoas que tiveram contato com alguém infectado pelo ebola.

Quarentena

Depois, essas pessoas são monitoradas de perto, já que os sintomas podem demorar 21 dias para aparecer. Em caso de sintomas de ebola, a pessoas precisam ser transferida imediatamente para um centro de tratamento.

A OMS explica que Serra Leoa tem agora apenas uma única cadeia de transmissão, que começou na capital Freetown, mas levou a um caso em Tonkolili, norte do país.

Um jovem, que trabalhava na capital, mas retornava para seu vilarejo em Tonkolili para levar dinheiro e comida a sua família, morreu num hospital enquanto recebia tratamento para malária, mas o teste para o ebola deu positivo.

Casos e Mortes

Todo o vilarejo foi colocado em quarentena por 21 dias. Trabalhadores sociais deram apoio e transmitiram informações à população, enquanto todas as pessoas eram checadas diariamente para ver se desenvolviam sintomas de ebola.

Duas pessoas da família do jovem testaram positivo e foram tratadas. Na última sexta-feira, 595 pessoas saíram da quarentena em Tonkolili, mas 43 continuam em observação. Já na capital Freetown, a quarentena de 38 pessoas termina no dia 29 de agosto.

Ao todo, Serra Leoa registrou mais de 13,4 mil casos de ebola, sendo que 3,9 mil pacientes não sobreviveram. Se foram considerados também os casos na Guiné, na Libéria e em outros países, a OMS registrou um total de 28 mil casos e mais de 11,2 mil mortes.

*Apresentação: Leda Letra.

Leia Mais: 

 Dia Mundial Humanitário: OMS pede proteção a trabalhores de saúde

ONU pede calma em relação a caso suspeito de ébola na Tanzânia
Entrevista: África e lições do ébola | Rádio das Nações Unidas

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031