Na Guiné-Bissau, Unicef elogia mães na semana que destaca amamentação

Ouvir /

Agência participou no lançamento da Semana Mundial de Aleitamento Materno; na promoção de jornadas de amamentação representante realça índices de aleitamento no país.

Semana Mundial do Aleitamento Materno. Foto: Rádio ONU/Amatijane Candé

Amatijane Candé da Rádio ONU, em Bissau.

O Fundo das Nações para a Infância, Unicef, elogiou a Guiné-Bissau por ter mais de metade das crianças amamentadas durante os primeiros cinco meses de vida.

O representante da agência da ONU no país realçou a importância da amamentação, ao dirigir-se a várias mães no lançamento da Semana Mundial de Aleitamento Materno.

Superstição

Para Abubacar Sultan, o aleitamento materno tem benefícios não só para as crianças, como para as mães. O representante destacou os índices de aleitamento no país.

"Nós temos evidência que mais de 50% das crianças foram amamentadas durante acima de cinco meses, segundo o relatório do Mic 2014 e isso prova que funciona. Hoje não deve existir qualquer tipo de dúvidas, tabus ou interpretação supersticiosa em relação a esta matéria".

O responsável lembrou que as probabilidades de contrair o cancro de mama, do útero e do ovário são menores nas mães que amamentam os bebés.

Atividades

Esta quarta-feira foi marcada por uma ação de sensibilização em Bambadinca, região de Bafatá, no leste da Guiné-Bissau. O evento foi marcado por atividades culturais.

Além da Unicef, a iniciativa do governo contou com apoio da organização não-governamental Plan Internacional e da Organização Mundial de Saúde, OMS.

Colostro

Sultan explicou que o primeiro leite fortalece o sistema imunológico da criança, sendo importante para baixar a mortalidade infantil. O alimento é essencial na proteção de doenças infecciosas e fornece nutrientes necessários durante os dois primeiros anos de vida da criança.

O lema deste ano é amamentação e trabalho, o qual relança o debate à volta da extensão do período das licenças de maternidade de três para pelo menos seis meses.

Sobrevivência

As declarações foram feitas à Rádio ONU pela diretora do Serviço Nacional de Alimentação, Nutrição e Sobrevivência do Ministério da Saúde. Ivone Moreira disse que a medida seria igual a de outros países.

A responsável abordou a importância do aleitamento materno exclusivo no crescimento e desenvolvimento intelectual da criança quando bem feito.

Desenvolvimento Intelectual

"O aleitamento materno tem muita importância para o desenvolvimento e crescimento da criança, é através de aleitamento materno que a criança desenvolve. Tem que ser um aleitamento eficaz e eficiente. Amamentar só para amamentar não reduz a mortalidade materna e infantil".

Para Unicef, o aleitamento materno exclusivo é a primeira imunização do bebe e mais eficaz para salvá-los. Segundo estudos, crianças alimentadas por este método nos primeiros seis meses têm 14 vezes maior probabilidade de sobrevivência do que aquelas que não foram.

Aleitamento

A agência aponta o aconselhamento, a educação e o apoio sobre a amamentação correta como forma de aumentar a taxa de aleitamento de 52% para 90 %.

A nível global, estima-se que mais de 800 mil mortes anuais de recém-nascidos sejam devido a práticas deficientes de aleitamento materno.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 18 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 18 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031