Índice de preço dos alimentos atinge menor nível em seis anos

Ouvir /

FAO explica que queda brusca no preço dos derivados do leite compensaram alta no preço do açúcar, que subiu 2,5% devido às más condições de colheita no Brasil.

Aumento na produção de leite na Europa. Foto: FAO

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Os preços das principais commodities alimentares atingiram seu menor nível em julho desde 2009, anunciou esta quinta-feira a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO.

Derivados do leite e óleos vegetais tiveram uma queda brusca de preço, o que compensou o aumento do valor do açúcar e dos cereais. A FAO explica que em média, o preço do açúcar subiu 2,5% no mês passado, devido principalmente às condições de colheita no Brasil, que não foram ideais.

Balanço

Em julho, o Índice de Preço dos Alimentos da FAO atingiu 164.6 pontos, quase 20 pontos a menos do que há um ano. Para chegar aos números, a agência da ONU faz um balanço de preços, nos mercados internacionais, dos cinco maiores grupos alimentares: cereais, carnes, derivados do leite, óleos vegetais e açúcar.

A queda do índice em julho também é explicada pela diminuição das importações da China, Oriente Médio e norte da África. Ao mesmo tempo, a produção de leite na Europa foi abundante, aumentando a disponibilidade para exportação.

Óleos e Cereais

Já a média de preço dos óleos vegetais ficou 5,5% mais baixo do que o nível de junho, atingindo o menor valor desde 2009.

A explicação vai para o preço internacional do óleo de palma, que ficou mais baixo devido ao aumento da produção no sudeste asiático. E com o bom abastecimento de óleo de soja na América do Sul, o preço do produto também diminuiu.

Já o índice médio de valor dos cereais subiu 2% em julho na comparação com junho, mas ainda assim ficou 10% menor do que os níveis de julho do ano passado.

Segundo a FAO, o preço do trigo e do milho subiu, em parte devido ao tempo na América do Norte e na Europa. Por outro lado o valor das carnes ficou praticamente inalterado no mês passado.

Leia Mais:

Preço do pão na Síria sobe quase 90%, contribuindo para o aumento fome

FAO alarmada com surto de gripe aviária na África Ocidental

Chefe da FAO diz que “ninguém é produtivo com fome” 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031