Guterres elogia plano franco-britânico para lidar com contrabando em Calais

Ouvir /

Chefe do Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, quer mais meios legais para os que precisam de proteção em território europeu; cerca de 3 mil migrantes estariam acampados na cidade portuária francesa.

António Guterres. Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O alto comissário da ONU para Refugiados, António Guterres, saudou a declaração e o plano de ação assinados esta quinta-feira pela França e a Grã-Bretanha sobre a situação na cidade de Calais.

Agências de notícias informaram que os dois governos apresentaram o chamado “centro de controlo e comando”, a ser executado pelas polícias britânica e francesa. O objetivo é deter gangues de contrabando de pessoas.

Canal da Mancha

Estima-se que 3 mil migrantes estejam acampados na cidade portuária francesa na esperança de cruzar o Canal da Mancha para o território britânico.

Em nota, Guterres disse apreciar a abordagem comum dos dois governos para lidar com a “situação complexa” em Calais.

O alto-comissário elogiou os elementos humanitários e de proteção do plano,  mas disse reconhecer plenamente a importância de combater o contrabando e o tráfico que “exploram pessoas vulneráveis”.

Eurotúnel

Os planos incluem implantar mais unidades de policiamento francesas além de recursos britânicos para garantir segurança no Eurotúnel. Os meios incluem vedação, câmaras de segurança, iluminação para épocas de cheias, tecnologia infravermelha para deteção e reforço da segurança dentro do túnel.

De acordo com relatos, uma auditoria à segurança será feita pelas equipas policiais especializadas de ambos os países. Para apoiar o projeto de melhorias, serão montadas equipas de busca de mercadorias, incluindo cães detetores.

Vias Legais

Guterres considera importante ter em mente que para desencorajar os contrabandistas e os traficantes de uma forma eficaz devem ser aumentadas as vias legais para os que precisam de proteção para entrar na Europa.

O chefe do Acnur disse que Calais, muitas pessoas devem precisar de proteção internacional ao mencionar cidadãos de países como Afeganistão, Eritreia, Somália, Sudão e Síria.

O Acnur disse que deverá trabalhar em colaboração com a França e o Reino Unido para apoiar os esforços em busca soluções para os dois países.

Asilo e Alojamento

Guterres saúda medidas para a melhorar as condições de vida e de acolhimento na região de Nord-Pas-de-Calais em noutros locais, além dos esforços para abordar temas como a asilo e alojamento.

O chefe da agência destaca ainda que o plano de ação aborda as necessidades específicas das pessoas vulneráveis em Calais como o grupo crescente de mulheres e crianças.

Guterres termina a nota a lembrar que grande parte das chegadas por mar ocorre devido ao conflito na Síria e ao agravamento das condições para os refugiados do país nas nações vizinhas.

Por isso, o representante considerou essencial continuar a apoiar os refugiados desses países ajudando a suportar o fardo do deslocamento forçado global.

*Apresentação: Denise Costa.

Leia Mais:

Total de migrantes que chegam à Grécia pelo mar aumenta 750% 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031