Acnur preocupado com violência na fronteira entre Macedônia e Grécia

Ouvir /

Força teria sido usada para prevenir a entrada de migrantes e segundo agência da ONU, "milhares" de pessoas ficaram encurraladas no local; chefe do Acnur conversou com ministro e pediu que fronteira não feche.

António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, está muito preocupado com a situação na fronteira entre a Grécia e a ex-República Iugoslava da Macedônia.

Nesta sexta-feira, a força foi usada para prevenir que migrantes cruzassem a fronteira. Agências de notícias afirmam que autoridades da Macedônia teriam lançado granadas e bombas de gás lacrimogênio para dispersar as pessoas.

O Acnur está preocupado com "milhares de refugiados e migrantes vulneráveis, especialmente mulheres e crianças". Segundo a agência, muitas pessoas estão amontoadas no lado grego da fronteira, em "condições precárias".

Segurança

O alto comissário António Guterres conversou com o ministro das Relações Exteriores da Macedônia, Nikola Poposki, que garantiu que a fronteira não será fechada no futuro.

O Acnur reforça entender a pressão que a região enfrenta e as "legítimas preocupações com a segurança", mas apela ao governo para que estabeleça a ordem.

A agência também espera a cooperação da  Macedônia para o registro e recepção dos migantes que estão daquele lado da fronteira e "precisam de assistência".

Ajuda

Já as autoridades da Grécia receberam do Acnur um pedido para que melhorem o sistema de registro e de recepção das "pessoas que precisam de proteção internacional" e ajudem, urgentemente, todos os que estão do lado grego da fronteira.

A agência da ONU reafirmou estar pronta a ajudar os dois governos neste sentido e voltou à pedir à União Europeia mais apoio para os países afetados pela crise de migrantes que atravessam o Mar Mediterrâneo.

Leia Mais:

Acnur saúda declaração franco-britânica para abordar situação em Calais

Acnur: número de refugiados e migrantes chegando à Grécia chega a 160 mil

OIM menciona asfixia por fumo como causa das 49 mortes no Mediterrâneo

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031