Mundo precisa de US100 bilhões para acabar com a malária até 2030

Ouvir /

Líderes mundiais vão debater o combate à doença na 3ª Conferência sobre Financiamento para o Desenvolvimento, na Etiópia; desde 2000 mundo conseguiu reduzir em 58% número de mortes causadas pela malária.

Eliminação da malária. Foto: OMS/S. Hollyman

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, e a parceria Roll Back Malária, RBM, afirmaram que são necessários US$ 100 bilhões para eliminar a doença no mundo até 2030. Isso equivale a mais de R$ 320 bilhões.

Além disso, relatório divulgado esta sexta-feira pela parceria cita a necessidade de US$ 10 bilhões ou R$ 32 bilhões adicionais para financiar pesquisas e o desenvolvimento de novos medicamentos e inseticidas.

Estratégias e Ações

Líderes mundiais vão debater o combate à doença na 3ª Conferência sobre Financiamento para o Desenvolvimento, na Etiópia.

Eles vão discutir a Estratégia Técnica Global para a Malária 2016-2030, aprovada durante a Assembleia Mundial de Saúde e a campanha "Ação e Investimento para Derrotar a Malária"  da Parceria Roll Back Malária.

Juntos, esses dois documentos fornecem um guia técnico e estratégias de ações e investimentos para alcançar as metas de acabar com a doença, incluídas na nova agenda de desenvolvimento sustentável pós-2015.

Entre os objetivos estão a redução da incidência nos casos e mortes de malária em 90% comparados aos índices de 2015 e eliminar totalmente a doença de mais 35 países.

Casos e Mortes

A Organização Mundial da Saúde calcula que o mundo vai registrar 214 milhões de casos de malária neste ano com aproximadamente 472 mil mortes. A maioria dos óbitos deve ocorrer entre crianças africanas com menos de cinco anos.

O progresso na luta contra a malária tem sido visível. Desde 2000, houve uma redução de 58% nas mortes causadas pela doença, mais de 6,2 milhões de vidas foram salvas nos últimos 15 anos.

Apesar disso, a OMS diz que a malária continua sendo a principal causa ou consequência da pobreza e da desigualdade no mundo.

A doença impede o desenvolvimento, mina a segurança alimentar, não permite que as crianças frequentem a escola e absorve a capacidade dos sistemas nacionais de responderem de forma eficaz às ameaças de segurança de saúde.

Essenciais

A diretora-executiva da parceria Roll Back Malaria, Fatoumata Nafo-Traoré, afirmou que o investimento vai evitar quase 3 bilhões de casos da doença e salvar mais de 10 milhões de vidas até 2030.

Ela disse que se a meta for alcançada, será possível também gerar uma receita econômica adicional de US$ 4 trilhões, quase R$ 13 trilhões, entre 2016-2030.

O relatório deixa claro que a redução e a eliminação da malária serão essenciais para atingir os novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Além disso, são importantes também para reduzir a ausência escolar, para combater a pobreza, para aumentar a paridade de gênero e para melhorar a saúde materna e infantil.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031