Ebola: US$ 7,2 bilhões necessários para recuperação da África Ocidental

Ouvir /

Valor foi anunciado pela presidente da Libéria durante Conferência Internacional de Recuperação do Ebola na sede da ONU; presidentes da Guiné e Serra Leoa também participam do evento; secretário-geral afirmou que os impactos da crise foram vastos e é preciso muito trabalho para apoiar os países"   

Medidas de prevenção ao ebola na Guiné. Foto: Unmeer/Martine Perret

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Um evento de alto nível na sede da ONU, nesta sexta-feira, discute a recuperação do ebola. Falando em nome dos três países mais afetados pela doença, a presidente da Libéria disse que são necessários US$ 7,2 bilhões para os planos de recuperação destas nações e da região da União do Rio Mano.

Este valor, o equivalente a cerca de R$ 23,2 bilhões, inclui US$ 4 bilhões para a região como um todo. Ellen Johnson-Sirleaf disse "que não há dúvida que os recursos necessários são significativos". No entanto, ela acredita que isto pode ser alcançado através de compromissos bilaterais e multilaterais já existentes e recursos adicionais.

Desafio

Os presidentes da Guiné e Serra Leoa também participaram do encontro. O evento teve ainda a presença do presidente da União Africana, que também é líder do Zimbabue.

Falando na abertura da Conferência Internacional de Recuperação do Ebola, o secretário-geral da ONU afirmou que a tarefa diante dos participantes é "imensa: concretizar as promessas de solidariedade" voltadas à ação.

Ban Ki-moon disse que a "estratégia para acabar com o surto está funcionando, mas o trecho final da resposta permanece particularmente desafiador".

Ele falou que o número de casos na Guiné e em Serra Leoa foi reduzido "consideravelmente". Mas novos casos na Libéria "mostram a necessidade de uma contínua vigilância dados os riscos regionais".

O país havia sido declarado livre do surto em 9 de maio.

Impactos

Segundo Ban, "os impactos da crise do ebola foram vastos e muito trabalho é necessário para apoiar os países"   

Ele disse que o surto afetou o progresso em relação à paz e ao desenvolvimento, prejudicou serviços sociais e de saúde, além de ter impactado o funcionamento de escolas e hospitais.

Diversos setores econômicos foram afetados como agricultura, mineração, comércio, turismo, transporte, pesca e pecuária.

O secretário-geral afirmou que todas essas questões tiveram um efeito negativo sobre as economias dos três países, que, antes da crise, estavam em uma trajetória positiva de crescimento.

Generosidade

Para o chefe da ONU, "este impacto negativo em economias, subsistências e, mais importante, sobre as vidas, exige que a comunidade global continue dando prioridade à recuperação do ebola, mesmo após o abrandamento da crise".

Ele disse que o "objetivo comum é reconstruir capacidades mais fortes, seguranças e sistemas resilientes para prevenção e resposta".

Isso significa acesso a serviços de saúde em todos os locais, não apenas nas capitais, e que eles estejam equipados não só para "responder a surtos extraordinários, como o do ebola, mas para lidar com a malária, o cólera e outras doenças comuns".

Dividendos Globais

Segundo Ban, "investir na Guiné, na Libéria e em Serra Leoa renderá dividendos globais para evitar que surtos locais se tornem emergências nacionais e pandemias regionais".

Ele disse que, por isso, o evento desta sexta-feira na ONU "é mais do que discursos e promessas: é uma chance de moldar uma parceria para um futuro melhor", que seja "pleno de oportunidades e livre do ebola".

Desde que começou no ano passado, o surto teve mais de 27,6 mil casos, com mais de 11,2 mil mortes. A maioria na África Ocidental.

A conferência desta sexta-feira será seguida de um evento especial da União Africana na Guiné Equatorial, no dia 20 de julho.

Leia Mais:

ONU realiza Conferência Internacional de Recuperação do Ebola

Ebola: encontro na ONU reúne ministros das finanças dos países mais afetados

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031