Brasil e outros países fazem "importante contribuição" para eleições no Haiti

Ouvir /

Reunião sobre processo eleitoral no país aconteceu nesta quinta-feira, na sede da ONU; começando em 9 de agosto, quase 6 milhões de haitianos vão escolher 1.280 administradores locais, 140 representantes municipais e 139 parlamentares; haitianos também vão democraticamente eleger um presidente.

Boinas azúis da Minustah levam material eleitorial da capital do Haiti, Porto Príncipe, para todas as regiões do país antes das eleições de agosto de 2015. Foto ONU/Minustah/Logan Abassi

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O porta-voz do secretário-geral da ONU, Stephane Dujarric, afirmou que o Brasil fez uma "importante contribuição" para as eleições no Haiti.

Falando a jornalistas na sede das Nações Unidas, Dujarric declarou que durante reunião sobre o processo eleitoral haitiano, nesta quinta-feira, "o Brasil, o Canadá, a Noruega e os Estados Unidos fizeram importantes contribuições para ajudar a fechar a atual lacuna de financiamento para as próximas eleições" no Haiti.

Desejo

Em pronunciamento no encontro no Conselho de Tutela, a representante do secretário-geral no Haiti afirmou que o pleito é "essencial para a renovação imediata das instituições democráticas do país".

Para Sandra Honoré, as eleições também são "essenciais" para o restabelecimento do equilíbrio institucional e para a consolidação democrática de longo prazo do Haiti.

A chefe da Missão de Estabilização da ONU no Haiti, Minustah disse que o pleito é importante "para satisfazer o desejo do povo haitiano por democracia, participação como cidadãos, prestação de contas, responsabilidade e boa governança". O encontro também contou a presença do primeiro-ministro do país, Evans Paul.

Segurança

Em entrevista à Rádio ONU, de Porto Príncipe, o comandante do componente militar da Minustah, José Luiz Jaborandy Júnior, falou sobre a preparação para a segurança durante o período eleitoral.

"Apesar da grande, da radical diferença, entre os nossos efetivos presentes em 2010 e em 2015, nós estamos trabalhando de forma coordenada e conjunta com a polícia nacional do Haiti e com a polícia das Nações Unidas, estabelecendo um pool de forças de segurança que seja capaz de manter o ambiente seguro durante esse importante período, durante esse importante processo eleitoral, que vai marcar uma expressiva evolução na maturidade política deste país".

Começando em 9 de agosto, quase 6 milhões de haitianos vão escolher 1.280 administradores locais, 140 representantes municipais e 139 parlamentares. O processo eleitoral, com diversos turnos, pode durar até o fim do ano.

Pela terceira vez consecutiva, os haitianos também vão democraticamente eleger um presidente. Segundo as autoridades, 38 mil candidatos estão concorrendo nas eleições locais, o que representa um número recorde.

Leia Mais:

Exclusiva: Sandra Honoré

ONU: Haiti está alcançando progressos concretos para realizar eleições este ano

Entrevista: José Luiz Jaborandy Júnior, chefe da Minustah

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031