Rainha da Espanha nomeada embaixadora especial da FAO para nutrição

Ouvir /

Cerimônia ocorreu em Roma, nesta sexta-feira; segundo a agência da ONU, nomeação foi feita em "reconhecimento ao compromisso pessoal" na construção de um mundo sem fome e desnutrição e às ações da Espanha para promover segurança alimentar e nutricional.

Rainha Letícia da Espanha é nomeada embaixadora especial para Nutrição da FAO. Foto: FAO.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

A rainha Letícia, da Espanha, foi nomeada embaixadora especial para Nutrição da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO. A cerimônia aconteceu nesta sexta-feira, em Roma.

Segundo a agência, a nomeação foi feita em "reconhecimento ao compromisso pessoal da rainha" à construção de um mundo sem fome e desnutrição e às ações da Espanha para promover segurança alimentar e nutricional global.

Pesquisa Científica

A monarca participou da 2ª Conferência Internacional sobre Nutrição da FAO, em novembro do ano passado. A designação também reflete o interesse da rainha em pesquisa científica que apoie saúde, educação e inovação.

Como embaixadora especial, ela vai buscar aumentar a conscientização sobre desafios globais da fome e a construção de apoio público para sua erradicação.

Falando a integrantes da FAO na Conferência da agência, a rainha afirmou que seu "empenho será, desde agora, em servir aos objetivos desta agência da ONU da forma mais eficaz possível".

Produção para Todos

Ela afirmou ainda que, nesta altura do século, há "capacidade técnica de produzir alimentos saudáveis e suficientes para todos".

A monarca afirmou, então, que é "preciso mobilizar vontades", pedindo ação coletiva envolvendo "governos, setor privado, sociedade civil e indivíduos". Ela  disse que é preciso o envolvimento de todos.

Grávidas

Durante seu discurso, a rainha Letícia destacou a necessidade fundamental de garantir boa nutrição para mulheres grávidas, mães que estão amamentando e crianças em seus primeiros cinco anos de vida".

Reiterando mensagem da FAO divulgada na quinta-feira, ela também descreveu os benefícios da dieta mediterrânea tradicional, dizendo que é "o melhor exemplo de alimentação saudável e sustentável".

Legado

O diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, afirmou ter "plena confiança" que a rainha dará uma "grande contribuição a ajudar os mais desfavorecidos a romperem o ciclo vicioso" da desnutrição.

Ele afirmou que a "erradicação da fome e da desnutrição pode, e deve, ser o maior legado que esta geração deixa para a humanidade".

De acordo com os últimos dados da FAO, o número de pessoas que passam fome no mundo foi reduzido em 216 milhões desde 1990. No entanto, este número ainda é cerca de 795 milhões atualmente.

Ao mesmo tempo, segundo Graziano da Silva, "os índices de obesidade estão subindo, principalmente em países de renda média e alta". Ele mencionou que as crianças são especialmente vulneráveis a problemas nutricionais.

Leia Mais:

Papa Francisco: acabar com a fome é obrigação que não pode ser negligenciada

“Conferência relançou nutrição ao centro da agenda internacional”

Entrevista: O Futuro da Nutrição

FAO: dieta mediterrânea, modelo antigo de vida saudável, está sob ameaça

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031