Para relator da ONU, países têm o poder de tornar a internet mais segura

Ouvir /

No Conselho de Direitos Humanos, David Kaye defende a ideia de criptografar as identidades online dos usuários; ele destaca, porém, que alguns governos são contra a mudança devido à liberdade de expressão.

David Kaye. Foto: TV ONU

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.*

No mundo digital, onde blogueiros e minorias estão sujeitos ao assédio online,  proteger a identidade dos usuários da internet é cada vez mais importante. A opinião é do relator especial da ONU para a promoção da liberdade de expressão.

No Conselho de Direitos Humanos, em Genebra, David Kaye pediu aos governos para que considerem a ideia da criptografia, ou seja, o anonimato das identidades online.

Barreiras

Segundo o relator, a prática já é utilizada por ativistas, acadêmicos e jornalistas que procuram informações sensíveis. Mas Kaye destaca que muitos governos acreditam que a criptografia na internet atrapalha a liberdade de expressão e pode ajudar criminosos e terroristas.

O relator da ONU falou sobre "tendências muito preocupantes que mostram como os países estão banindo o anonimato na internet ou restringindo a criptografia".

Segurança

Para David Kaye, essas ações minam a segurança e a privacidade que todos os indivíduos têm de se expressarem e de exercerem seus direitos à liberdade de expressão e de opinião.

O especialista afirmou, no entanto, não ser contra serviços de segurança acessarem dados na internet que foram criptografados, desde que uma autorização para esse fim seja conseguida nos tribunais.

Ele lamentou que alguns países vejam a internet como inimiga e acabam bloqueando o acesso dos cidadãos, o que é, segundo Kaye, uma "clara violação dos direitos humanos".

O relator David Kaye disse ainda que as Nações Unidas podem melhorar sua própria segurança digital e oferecer mais segurança aos indivíduos que contactam a organização pela internet.

*Com reportagem de Daniel Johnson, da Rádio ONU em Genebra.

Leia Mais:

UIT diz que número de celulares no mundo passou dos 7 bilhões em 2015

Crimes cibernéticos fazem mais de 430 milhões de vítimas por ano

ONU quer parceria público-privada para combater crime organizado

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031