ONU formaliza parceria para investigar combate às crises que afetam o Sahel

Ouvir /

Cerca de 20 milhões de pessoas enfrentam insegurança alimentar na região africana; Guiné-Bissau e Cabo Verde estão entre os países abrangidos pelo centro de pesquisas que deve desenvolver nova iniciativa até 2016.

Robert Piper. Foto: ONU/Rick Bajornas

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas assinaram, esta terça-feira, um plano de parceria estratégica com o Comité Interestatal Permanente para o Controlo da Seca no Sahel.

O objetivo é reforçar a resiliência de comunidades consideradas “altamente vulneráveis à insegurança alimentar e à malnutrição”. Todos os anos, cerca de 20 milhões de pessoas não têm comida suficiente na região africana desde 2012.

Equilíbrio 

O Comité dedica-se a investigações sobre a segurança alimentar e a luta contra os efeitos da seca e desertificação para um novo equilíbrio ecológico na área, onde mais de 5 milhões menores de cinco anos sofrem de desnutrição. Guiné-Bissau e Cabo Verde estão entre 13 países cobertos pela entidade.

A região conhecida por acolher comunidades que estão entre as mais pobres do mundo apresenta crises alimentares e nutricionais crónicas. Os problemas são agravados pelos efeitos das alterações climáticas.

O Sahel também é afetado por desastres naturais recorrentes, aliados ao impacto de conflitos violentos e ao deslocamento.

Intensidade

Ao assinar o acordo, o coordenador Humanitário Regional da ONU para o Sahel, disse  que muitas famílias são mais vulneráveis atualmente do que eram há 20 anos. Robert Piper fala de menor capacidade de lidar com a maior frequência e intensidade dos choques climáticos.

Para ele, a parceria deve ajudar a compreender melhor o que impulsiona os perigos de desastres e identificar os menos equipados para lidar com o impacto de tais choques.

Emergências

Piper considerou o entendimento uma medida indispensável para o trabalho conjunto com entidades de desenvolvimento e governos com vista a abordar as causas estruturais das emergências crónicas do Sahel de forma sustentável.

O plano que será coberto até 2016 define seis áreas de cooperação para reforçar a capacidade das famílias para lidar com os choques climáticos, além de desastres naturais e dos que são provocados pelo homem.

Plano

O envolvimento da ONU é através da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO,  o Programa Mundial de Alimentação, PMA, e ainda o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

O  Programa da ONU para o Desenvolvimento, Pnud,  o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, e o Escritório para a Coordenação de Assistência Humanitária, Ocha, estão entre as agências abrangidas pelo plano.

Leia Mais:

FAO diz que 11 milhões deixaram de passar fome na África Ocidental

Sobe para 3,5 mil número de deslocados na região africana do Sahel

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031