Ban afirma que "ação climática está num momento crucial"

Ouvir /

Secretário-geral da ONU disse que todos os países devem fazer parte da solução; presidente da Assembleia Geral alertou que a mudança climática representa um sério risco ao bem-estar da humanidade.

A mudança climática põe em risco o bem-estar da humanidade. Foto: OMM/Olga Khoroshunova

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou esta segunda-feira que "a jornada global em direção a uma robusta ação climática está num momento crucial".

Ban fez a declaração durante a abertura do evento de alto nível sobre Mudança Climática na sede das Nações Unidas, em Nova York. O encontro conta com a participação de representantes de países, organizações ambientais e da sociedade civil.

Acordo Universal

O chefe da ONU disse que todos estavam reunidos para avaliar as promessas feitas para combater o problema, o que foi cumprido até agora e o que mais pode ser feito para garantir que os líderes mundiais e governos adotem um acordo ambiental ambicioso e universal na COP 21, em Paris, em dezembro.

Ele citou alguns avanços nesse sentido como o anúncio feito por Estados Unidos e China, os dois maiores poluidores mundiais, para reduzir suas emissões de gases.

Além disso, Ban mencionou a adoção de novas leis e políticas ambientais no mundo inteiro. Vários países estão apostando num crescimento de baixo carbono e resiliente ao clima.

Energia Renovável

O secretário-geral disse também que os preços das fontes de energia renovável estão caindo drasticamente e em algumas regiões estão no mesmo nível dos preços cobrados pelos combustíveis fósseis.

Mas o chefe da ONU afirmou que "todos os países devem fazer parte da solução".

Segundo ele, o acordo a ser firmado na COP 21, em Paris, deve dar um sinal claro aos governos e mercados de que o mundo está comprometido em criar um futuro de baixo carbono.

Outro ponto essencial é que o documento deve ser duradouro, de longo prazo, dando ao setor privado uma estrutura de políticas necessárias para investir em energia limpa.

Além disso, Ban disse que o documento deve ser flexível para incentivar e incorporar mais metas científicas e deve conter princípios de equidade em apoio aos países mais pobres e vulneráveis.

Ação Financeira

O chefe da ONU declarou que o novo acordo deve também incluir mecanismos claros para medir, monitorar e reportar progressos alcançados de uma forma transparente.

Para Ban é fundamental uma ação financeira sólida. Ele pediu aos países desenvolvidos que mobilizem US$ 100 bilhões por ano até 2020 para apoiar as nações em desenvolvimento na redução das emissões de gases.

O presidente da Assembleia Geral, Sam Kutesa, também participou do evento em Nova York.

Kutesa alertou que a "mudança climática representa um sério risco ao bem-estar da humanidade e à segurança das populações e países.

Ele disse que "os impactos adversos desse fenômeno estão afetando todos os países, desenvolvidos e em desenvolvimento".

Desastres Naturais

Segundo o chefe da Assembleia Geral, os contínuos desastres naturais estão atingindo diversas regiões como resultado da mudança dos padrões climáticos.

Kutesa afirmou que muitos Pequenos Países Insulares em Desenvolvimento, conhecidos pela sigla Sids, enfrentam a ameaça de desaparecer devido ao aumento do nível dos mares.

Ele deixou claro que a mudança climática não é "simplesmente uma questão de preocupação para cientistas ou políticos, é um assunto de profunda importância para todas as pessoas, jovens ou idosas, ricas ou pobres".

Leia Mais:

Carta da ONU faz 70 anos e Ban pede “maior cooperação” entre nações

Nações Unidas elogiam encíclica papal sobre meio ambiente

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031