Unodc afirma que contrabando de migrantes não pode continuar

Ouvir /

Chefe da agência da ONU declarou que prática ocorre através das fronteiras e está ligada a questões de paz e segurança, direitos humanos e desenvolvimento; Yuri Fedotov disse que as vítimas estão nas mãos de grupos criminosos.

Yuri Fedotov. Foto: ONU/JC McIlwaine

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O diretor-executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, Yuri Fedotov, afirmou que "o contrabando de migrantes é uma tragédia que não pode continuar".

Fedotov fez a declaração esta segunda-feira, na abertura da 24ª sessão da Comissão sobre a Prevenção de Crime e Justiça Criminal, que está sendo realizada em Viena, na Áustria.

Paz e Segurança

O chefe do Unodc disse que essa prática ocorre através das fronteiras e que está intimamente ligada a questões de paz e segurança, direitos humanos e desenvolvimento.

Ele disse que ficou "horrorizado" com as mortes de migrantes em naufrágios no mar Mediterrâneo, em abril. Fedotov afirmou que, depois disso,  milhares de outros refugiados e migrantes já morreram no mundo inteiro, em jornadas perigosas para alcançar o destino final.

Segundo o diretor-executivo do Unodc, essas pessoas estão, geralmente, nas mãos de grupos criminosos.

Fedotov disse que a Convenção da ONU sobre Crime Organizado Transnacional e o protocolo sobre contrabando de migrantes podem ser eficazes na luta contra essas redes de contrabando.

Políticas Coerentes

Para que isso aconteça, o chefe do Unodc afirmou que "as políticas devem ser coerentes e as respostas integradas e inclusivas entre os países de origem, trânsito e destino".

Ele afirmou que toda essa estratégia deve ter como base o princípio de "responsabilidade compartilhada".

Mais de mil representantes de governos e da sociedade civil estão participando do encontro. Durante os cinco dias de reuniões, as autoridades vão discutir a questão dos terroristas estrangeiros.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, também demonstrou preocupação com a situação dos migrantes, principalmente, no Mar de Andaman e no estreito de Malaca, entre a Malásia e a Indonésia.

Ban pediu aos líderes da região que protejam as vidas dos migrantes e respeitem a lei internacional. O chefe da ONU mencionou também a necessidade do desembarque em tempo apropriado dos migrantes que estão a bordo dos barcos.

Leia Mais:

ONU quer rapidez para proteger milhares em alto-mar do sudeste asiático

Acnur vê como avanço proposta para migração da União Europeia

União Europeia irá adotar nova agenda sobre migração

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031