Unfpa elogia programa de rádio com conteúdos sobre sexo no Chade

Ouvir /

Produção destaca-se por falar de assuntos relacionados ao tema em comunidades consideradas conservadoras e tradicionais; país tem o maior risco de morte materna no mundo.

Especialista em saúde materna do Unfpa é entrevistado pela Rádio Tob, na região de Mandoul. Foto: Unfpa/Ollivier Girard

Michelle Alves de Lima, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Fundo de População das Nações Unidas, Unfpa, destacou um programa de rádio que aborda  assuntos relacionados ao sexo para comunidades consideradas conservadoras e tradicionais do sul do Chade.

O projeto é levado a cabo por ativistas da saúde que querem trazer à tona assuntos mais críticos, que incluem prevenção do HIV/Sida e planeamento familiar.

Crenças

Da área chadiana de Koumra, capital de Mandoul, a parteira Anne Migneta disse que "a rádio é usada para chamar a atenção da comunidade, que ainda abriga resistência sobre planeamento familiar baseada nas religiões e crenças da população". Migneta é uma convidada frequente do programa transmitido pela Rádio Tob 93.0 FM.

A atração vai ao ar em três idiomas: árabe, francês e kera, o dialeto local. Com a ajuda do Unfpa, o programa da Rádio Tob e de outras estações do Chade são veículados para uma audiência ainda maior.

De acordo com uma responsável de comunicação do Fundo, Toussaint Mbaitubom, essas emissoras que têm parceria com o Unfpa recebem materiais editoriais para programas sobre HIV/Sida, saúde sexual e reprodutiva, planeamento familiar, além de assuntos relacionados aos direitos humanos, como igualdade de género e casamento infantil.

Rádios Comunitárias

Segundo a jovem Mathurina Yanlom, ouvinte assídua da atração, "as rádios comunitárias são importantes meios pelos quais os jovens podem aprender sobre saúde reprodutiva". Ela contou que com as informações sobre planeamento familiar e HIV/Sida que são transmitidas, os jovens passaram a discutir esses assuntos de forma mais aberta.

Dados recentes do Unfpa e de outras agências da ONU apontam o Chade como  o país com o maior risco de morte materna no mundo, com uma fatalidade em cada 15 casos relacionados à gravidez ou ao parto.

Em países de alta renda, o risco estimado é de um em 3,4 mil casos; nas economias de baixa renda, a estimativa é de uma morte em cada 52 casos.

O Chade também tem uma das mais altas taxas de fertilidade do mundo, com uma média de 6,3 crianças para cada mulher.

Gravidez

Estes números refletem a falta de acesso das mulheres à informação e a cuidados de saúde de qualidade e ainda ao planeamento familiar voluntário, que reduz a incidência de mortes relacionadas à gravidez.

A falta de informação sobre saúde também aumenta a vulnerabilidade ao HIV/Sida. Dados mais recentes da Onusida para o país, de 2013, apontam que as mulheres representam 58% dos infectados.

Mudança de Comportamento

O chefe da Rádio Tob contou ter notado que os programas transmitidos pela sua emissora "têm tido um impacto visível na sociedade local". Ele citou conversas informais com jovens, que disseram que a rádio é responsável por discussões mais abertas na comunidade.

As mudanças também são notadas pelo governo regional de Mandoul. Segundo um oficial de saúde sénior local, o projeto permite que agentes governamentais levem a cabo acções de sensibilização da comunidade.

Leia Mais:

OMS: resultados globais sobre progressos das metas de saúde são mistos

Entrevista: saúde reprodutiva e desenvolvimento sustentável

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031