Secretário-geral condena morte de dois soldados de paz na ONU na RD Congo

Ouvir /

Outros 13 ficaram feridos em emboscada a comboio das tropas da Missão da ONU no país esta quarta-feira; ataque ocorreu quando a Monusco estava cumprindo seu mandato de proteção de civis.

Tropas da Monusco na RD Congo. Foto: ONU

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral das Nações Unidas condenou de forma veemente o assassinato de dois soldados de paz da ONU na República Democrática do Congo. Os boinas azuis eram da Tanzânia.

Outros 13 ficaram feridos na ação que ocorreu na terça-feira. Um comboio da Missão das Nações Unidas na RD do Congo, Monusco, foi pego em uma emboscada e foi alvo de disparos em Beni, na província do Kivu Norte.

Proteção de Civis

A suspeita é de que os autores do ataque sejam integrantes das Forças Democráticas Aliadas, ADF.

O ataque ocorreu quando a Monusco estava cumprindo seu mandato de proteção de civis. Em entrevista de Beni, o comandante das tropas da Monusco, o general Carlos Alberto dos Santos Cruz falou à Rádio ONU sobre o atentado e a situação na região.

"Nós temos uma situação aqui em Beni aonde o grupo terrorista ADF tem atuado muito matando civis inocentes, emboscando as tropas do Congo. Nos sofremos também alguns ataques. Ontem, foi a emboscada aonde nós perdemos dois soldados, dois militares da Tanzânia, tivemos dois mortos e 13 feridos. E  três civis também que estavam passando por aquela região também morreram depois da emboscada desse grupo ADF. É um grupo criminoso que está atuando aqui, e nos vamos intensificar as ações para perseguir esse grupo."

Helicóptero Atingido

Este atentado aconteceu após um incidente na segunda-feira quando o helicóptero onde estava o general brasileiro foi atingido por homens armados não identificados na mesma área.

"Foi na segunda-feira, quando nós tínhamos algumas informações, estávamos sobrevoando a área de operações. Foi um ataque do solo, onde o helicóptero foi atingido, mas conseguimos pousar sem maiores problemas."

Atrocidades

O secretário-geral também condenou nos termos mais fortes as "contínuas atrocidades" cometidas pelo ADF contra civis indefesos em Beni.

Ainda em nota, o chefe da ONU reiterou o compromisso da organização de tomar todas as ações necessárias sob a resolução do Conselho de Segurança para proteger os civis e neutralizar os grupos armados no leste da RD Congo.

Leia Mais:

Missão da ONU condena morte de pessoas à machadada na RD Congo

Chefe da Unesco pede investigação à morte de jornalista na RD Congo

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031