Guiné-Bissau implementa medidas para combater sarampo

Ouvir /

Afirmação foi feita pelo representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, no país, Abubacar Sultan; já foram confirmados 20 casos da doença e 156 suspeitos.

Prevenção ao sarampo na Guiné-Bissau. Foto: Unicef Guiné-Bissau

Amatijane Candé, Rádio ONU Bissau.

Na sequência dos primeiros casos suspeitos de sarampo na Guiné-Bissau, decorrente do surto que se verifica na vizinha Guiné-Conacri, as autoridades nacionais prontificaram-se em implementar os mecanismos necessários à sua investigação e consequente prevenção.

A informação foi dada pelo representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, na Guiné-Bissau. Abubacar Sultan  concedeu uma entrevista à Rádio ONU na capital guineense para falar da abordagem do governo face as ameaças do sarampo com 20 casos já confirmados e 156 suspeitos.

Procedimentos

De acordo com Abubacar Sultan, o governo pretende implementar normas e procedimentos para estancar a progressão da doença que afeta maioritariamente crianças.

Ele revelou estar em curso uma campanha de vacinação nas zonas com maior índice do sarampo e disse que o Unicef já financiou mais de 150 unidades de conservação de vacinas.

"Envio para testagem de laboratório dos casos suspeitos e imediatamente ativado micro-campanha nas zonas em que se verificaram estes casos para que a prevenção se estendesse a todas as crianças que eventualmente não tivessem sido vacinadas. Neste momento, Unicef tem já apoiado acima de 150 unidades de conservação em todo o país, foram entregues mais 10 que serão instalados por pessoal do Ministério de Saúde formado com nosso apoio".

Imunização

Face à urgência de se avançar com a vacinação e tendo em conta que o país não possuía estoque necessário, o Unicef colocou à disposição do governo guineense cerca de 160 mil doses de vacina contra o sarampo e igual número de seringas, na semana passada.

Fazem também parte do donativo, frigoríficos, geradores e motorizadas destinados a reforçar a cadeia de frio com vista a uma melhor conservação das vacinas a serem utilizadas pelo Serviço de Imunização e Vigilância Epidemiológica na resposta ao surto de sarampo na Guiné-Bissau.

"Este apoio tem a ver também com a parceria mais ampla que nós temos com o Ministério da Saúde na área de programa alargado de vacinação que pretende garantir a imunização de crianças em relação ao cumprimento de todos os elementos necessários para prevenção das doenças na infância. Faz parte deste processo a importação e fornecimento de vacinas, financiamento de campanhas de vacinação quando elas se impõem".

Gestão

Por outro lado, o representante da agência realçou a necessidade de um controlo mais rigoroso do armazenamento das vacinas por forma a garantir uma planificação eficiente dos serviços sanitários.

Sultan espera um transporte devido do material aos locais de vacinação, bem como a manutenção do equipamento.

A doença está sob controlo, disse Abubacar Sultan, para quem o material é sensível e vale tê-lo à disposição não só para campanhas, mas também para os serviços de rotina. Ele realçou ainda a necessidade da preparação do país para eventos de emergência.

O donativo é orçado em cerca de US$ 500 mil e foi financiado pelo Unicef e pelo governo Sueco no âmbito do programa H4+.

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031