Deslocados internos devido a conflitos chegam a 38 milhões no mundo

Ouvir /

Pesquisa foi feita em 60 países e dados mostram situação registrada no ano passado; relatório foi preparado pelo Conselho Norueguês de Refugiados, parceiro da ONU.

Deslocada na República Centro-Africana. Foto: Acnur/A.Greco

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

Um relatório preparado pelo Conselho Norueguês de Refugiados, NRC, parceiro da ONU, afirmou que os conflitos armados e a violência deixaram 38 milhões de deslocados internos em todo o mundo no ano passado.

Especialistas em assuntos humanitários disseram que o documento serve de alerta para governos e para a comunidade internacional.

Problemas Fundamentais

O chefe do NRC, Jan Egeland, disse que 30 mil pessoas tiveram de fugir de suas casas todos os dias em 2014, um nível nunca visto nos 10 anos em que o relatório vem sendo preparado.

Segundo Egeland, o documento "é um sinal de que o mundo tem problemas fundamentais na proteção dos vulneráveis de homens armados violentos".

Ele citou que o problema é particularmente ruim no Oriente Médio e na África.

O alto comissário assistente para proteção de refugiados, Volker Türk, disse que "cada vez mais pessoas são forçadas a fugir dentro de seu próprio país, em alguns casos, múltiplas vezes".

Türk deu como exemplo a região do Mediterrâneo, dizendo que "o desespero leva pessoas a assumirem o risco de viagens de barco perigosas".

Para ele, "a solução óbvia é um esforço geral para levar a paz aos países arrasados por guerras".

Iraque e Síria

O relatório mostra que o Iraque teve 2,2 milhões de deslocados internos no ano passado, todos forçados a fugir de suas casas pelos extremistas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil.

Na Síria, foram mais 1,1 milhão de deslocados em 2014, totalizando 7,6 milhões desde o início do conflito no país há quatro anos.

O Sudão do Sul teve 1,3 milhão de deslocados internos e dois outros países africanos, Congo e Nigéria, adicionaram mais dois milhões a esse total.

Na Europa, a Ucrânia entrou na lista pela primeira vez. O país registrou 650 mil deslocados internos no ano passado sendo que o número atual já passou de 1,2 milhão.

Na América do Sul, o relatório cita que a razão para o deslocamento interno é a violência gerada por gangues criminosas. Mais de 500 mil pessoas foram obrigadas a fugir de suas casas em El Salvador, na Guatemala e em Honduras.

Leia Mais:

Cerca de 147 mil vivem em centros de deslocados das cheias no Malaui

Acnur ajuda sobreviventes de viagens marítimas em locais de detenção na Líbia

Iraque: Acnur fala da fuga de 114 mil de Anbar em duas semanas

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031