Unicef: 800 mil crianças foram forçadas a fugir da violência na Nigéria

Ouvir /

Documento do Fundo da ONU para a Infância revela que o número mais do que dobrou em menos de um ano; dados da agência foram publicados para marcar um anos do sequestro de 200 meninas em uma escola em Chibok.

Crianças em uma escola na Nigéria. Foto: Unicef/Sebastian Rich

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Cerca de 800 mil crianças foram forçadas a fugir de suas casas na Nigéria por causa do conflito no nordeste do país entre o grupo Boko Haram, forças militares e grupos civis de autodefesa.

Os dados estão em novo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, divulgado nesta segunda-feira.

Infâncias Perdidas

O documento marca um ano do sequestro de mais de 200 meninas em uma escola em Chibok. O relatório "Infâncias Perdidas" revela que o número de crianças fugindo para salvar suas vidas dentro da Nigéria ou atravessando as fronteiras para o Chade, Níger e Camarões mais do que dobrou em menos de um ano.

Segundo o documento, os menores têm sido usados pelo grupo Boko Haram como combatentes, entre outras funções. Estudantes e professores foram alvos deliberados de ataques. Mais de 300 escolas foram danificadas ou destruídas e pelo menos 196 professores e 314 estudantes foram mortos até o fim de 2014.

Meninas

Já mulheres e meninas têm sido submetidas ao trabalho e ao casamento forçados e também são vítimas de estupro. Segundo o diretor regional do Unicef para a África Central e Ocidental, Manuel Fontaine, "o sequestro de mais de 200 meninas em Chibok foi apenas uma das tragédias sem fim sendo replicadas em uma escala épica na Nigéria e região".

Ele afirmou ainda que "meninos e meninas têm desaparecido no país de várias maneiras: sequestrados, recrutados por grupos armados, atacados, usados como armas ou forçados a fugir da violência".

Para o diretor regional da agência da ONU, essas crianças "têm o direito de ter suas infâncias de volta".

Redes Sociais

O Unicef está chamando atenção ao impacto arrasador do conflito sobre as crianças na região usando a hashtag # bringbackourchildhood.

Como parte desta iniciativa, a agência da ONU está usando a plataforma social Snapchat, onde mensagens desaparecem, para destacar a difícil situação de centenas de milhares de crianças.

Para contar a história dos menores que fugiram da violência, serão usadas imagens baseadas em desenhos de crianças na Nigéria, Chade, Níger e Camarões.

O público também é convidado a participar. Pessoas podem compartilhar do que sentiriam mais falta se fossem forçadas a sair de casa, tanto no Snapchat ou em outras redes sociais usando a # bringbackourchildhood.

Ajuda Humanitária

Mais de 1,5 milhão de pessoas fugiram de suas casas por causa da violência no país africano. Isto inclui 1,2 milhão de deslocados internos na Nigéria e cerca de 200 mil que atravessaram a fronteira para os vizinhos Camarões, Chade e Níger.

O Unicef aumentou sua resposta humanitária à crise. Nos últimos seis meses, o Fundo forneceu apoio psicossocial a mais de 60 mil crianças afetadas pelo conflito na região.

O Fundo também está trabalhando com parceiros para fornecer água, serviços de saúde, tratamento para crianças desnutridas e espaços temporários de aprendizado.

Com grave escassez de financiamento, o Unicef  está pedindo a doadores internacionais que aumentem seu apoio às ações humanitárias na Nigéria e países vizinhos.

Leia Mais:

Necessários US$ 174 milhões para ajudar vítimas do conflito na Nigéria

Gordon Brown: “Houve mais de 10 mil ataques a escolas nos últimos cinco anos”

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031