"Uma tragédia de proporções épicas está se desenrolando no Mediterrâneo"

Ouvir /

Afirmação está em declaração conjunta assinada por representantes da ONU; documento pede que líderes europeus coloquem vidas em primeiro lugar; segundo a OMI, desde janeiro, pelo menos 1,7 mil pessoas morreram tentando atravessar o mar.

Sobrevivente desembarca no porto de Sicília. Foto: Acnur/F.Malavolta

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.*

Uma declaração conjunta assinada pelos alto comissários para Refugiados, António Guterres, e para Direitos Humanos, Zeid Al Hussein alerta que "uma tragédia de proporções épicas está se desenrolando no Mediterrâneo".

Na nota emitida nesta quinta-feira, eles apelam aos líderes europeus que "coloquem a vida humana, os direitos e a dignidade em primeiro lugar ao chegarem a um acordo sobre uma resposta comum à crise humanitária no Mediterrâneo".

Humanidade e Solidariedade

O comunicado afirma que a União Europeia é fundada em "princípios fundamentais de humanidade, solidariedade e respeito pelos direitos humanos".

Os representantes da ONU apelam aos Estados-membros do bloco que demonstrem "lideraça política e moral adotando uma plano de ação holístico e voltado para o futuro, centrado nestes valores".

Para eles, a resposta da União Europeia deve ir além da "abordagem minimalista do Plano de 10 Pontos sobre Migração" anunciado na segunda-feira. A medida se concentra principalmente em conter a chegada de migrantes e refugiados em seu litoral.

Princípio

Eles afirmaram que como princípio fundamental, a segurança e os direitos humanos de todos os migrantes e refugiados devem estar à frente da resposta da União Europeia.

De acordo com os representantes da ONU, os líderes europeus devem olhar além da situação presente e trabalhar de forma próxima com os países de trânsito e de origem.

O objetivo é aliviar a imediata difícil situação dos migrantes e refugiados e abordar de forma mais abrangente os muitos fatores "que os levam a tais viagens desesperadas no mar".

Operação de Resgate

Guterres e Al-Hussein encorajam uma ação coletiva que inclua a criação de uma operação de busca e resgate liderada pelos Estados "proativa, robusta, urgente" e com uma "missão clara de salvar vidas".

Outras medidas incluem a criação de canais para migração regular e segura, incluindo para trabalhadores migrantes pouco qualificados e pessoas que necessitam de reagrupamento familiar.

Racismo

Os representantes também pediram compromisso para receber um número maior de refugiados, para aumento do apoio aos países com maior número de chegadas, como Itália, Malta e Grécia, e combate à retórica xenófoba e racista contra migrantes e refugiados.

Também assinaram o comunicado o representante especial do secretário-geral para migração internacional e desenvolvimento, Peter Sutherland, e o diretor-geral da Organização Internacional para Migrações, agência parceira da ONU, William Swing.

A Organização Marítima Internacional informou que desde janeiro até agora, pelo menos 1,7 mil pessoas morreram tentando atravessar o Mediterrâneo.

*Apresentação: Edgard Júnior.

Leia Mais:

Ban discute com papa Francisco e premiê italiano crise de migrantes

Para ONU, plano da União Europeia sobre migrantes é “bom começo”

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 12 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031