Em dois dias, mais de mil pessoas deixaram o Burundi por medo de milícias

Ouvir /

Chefe de direitos humanos desencoraja violência antes das  três eleições previstas para 2015;  representante menciona ação do grupo Imbonerakure e deplora tom de discursos num evento pró-governo.

Zeid Al Hussein. Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Burundi não pode ter um outro surto de violência, advertiu esta quarta-feira o alto comissário as Nações Unidas para os Direitos Humanos.

Zeid Al Hussein disse que mil pessoas deixaram o país, somente nos últimos dois dias. Várias contaram “explicitamente que a razão foi o receio de ações das milícias”, conhecidas por Imbonerakure.

Eleições

O responsável falava a jornalistas, em Bujumbura, no fim da visita de três dias ao país africano. Zeid considerou que o momento é crucial para a história do Burundi, que em maio terá eleições parlamentares. Em junho será a vez das  presidenciais e, em agosto, a corrida para o senado.

Cerca de 6 mil pessoas devem ter atravessado a fronteira para o Ruanda, destacou o alto comissário. Na ocasião, citou exemplos extremos de discursos de ódio ouvidos num grande comício pró-governamental no sábado na capital do país.

Entre o que chamou de “sinais negativos” estão o lançamento de uma granada à casa de um jornalista, que recentemente “escreveu sobre o alegado fornecimento de armas aos Imbonerakure”. Zeid considerou que a saída para a situação é o retorno a uma via que conduza à paz e prosperidade.

Incitação ao Ódio

Aos políticos e ativistas do país, o chefe dos Direitos Humanos da ONU pediu garantias de debates políticos que nunca cheguem ao nível de incitação ao ódio ou à violência caso se tornem acalorados. Para as autoridades, a vários níveis, pediu que sejam escrupulosamente imparciais e garantam a proteção do público.

O alto comissário disse ainda que a direção que o país parece estar a tomar levantou alarme de entidades da ONU, incluindo o secretário-geral e os países-membros de Conselho de Segurança.

Preocupação

Desde a sua chegada no domingo, Zeid encontro-se com o presidente do Burundi e outras autoridades além da sociedade civil, diplomatas estrangeiros, políticos da oposição e instituições-chave.

Ele  declarou que “esteve muito claro que muitas dessas pessoas também estão extremamente preocupadas” com a situação do país.

*Apresentação: Denise Costa.

Leia Mais:

Eleição no Burundi é destaque no fim do périplo do Conselho de Segurança

Conselho de Segurança pede atenção para processo eleitoral no Burundi

 

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 11 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031