Chefe de direitos humanos da ONU saúda transição da Tunísia para democracia

Ouvir /

Alto comissário Zeid Al Hussein fez visita de um dia à capital do país e encontrou-se com autoridades e representantes da sociedade civil; Escritório da ONU para Direitos Humanos no país foi criado em julho de 2011.

Zeid Al Hussein. Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Ao fim de uma visita à Tunísia na segunda-feira, o alto comissário da ONU para direitos humanos elogiou a determinação da população do país de apoiar as aspirações que levaram à transição na nação em 2011.

Zeid Al Hussein afirmou que "houve diversas tentativas de desviar a Tunísia do caminho para uma democracia estável e sustentável". No entanto, todas as vezes, estas tentativas teriam sido "frustradas pela disponibilidade de políticos de vários lados políticos de dialogar e chegar a acordos e a inclusão da sociedade civil no processo".

Sociedade

O alto comissário levantou a questão de quão diferente estaria a região se outros países tivessem tomado abordagem semelhante, ao "invés de reprimir dissidentes de forma violenta e a levar a sociedade ao confronto extremo".

Zeid Al Hussein elogiou o papel fundamental da sociedade civil tunisina em garantir que a transição continue em curso, a lançar um processo de diálogo nacional e apoiando reformas, principalmente nas áreas de direitos humanos, estado de direito e justiça.

Ele mencionou a condução de eleições no país, mas afirmou que desafios permanecem, incluindo em áreas como desigualdades sócio-económicas, prestação de contas, justiça, tratamento de detentos e reformas legais, entre outras.

Apoio

O alto comissário destacou o apoio contínuo do Escritório da ONU para Direitos Humanos à Tunísia na abordagem a estes desafios.

Durante a visita de um dia a Túnis, capital do país, Zeid Al Hussein encontrou-se com o presidente Beji Caid Essebsi, o primeiro-ministro Habib Essid, além de outras autoridades governamentais e representantes da sociedade civil.

Museu Bardo

O Chefe de direitos humanos da ONU também colocou uma coroa de flores no Museu Bardo.

Segundo agências de notícias, pelo menos 23 pessoas morreram, incluindo 20 turistas estrangeiros, no ataque ao local, em 18 de março.

O Escritório da ONU para Direitos Humanos na Tunísia foi criado em julho de 2011. O órgão tem trabalhado com autoridades do país, sociedade civil e outros atores na criação de um sistema nacional de proteção de direitos humanos.

Leia Mais:

Conselho de Segurança condena ataque terrorista a museu na Tunísia

Pedido de recursos para mais escolarização no Médio Oriente e norte de África

Compartilhe

JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
JORNAL DA ONU - 5 MIN, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Loading the player ...

SIGA A RÁDIO ONU NAS REDES SOCIAIS

 

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031